Menino de 11 anos morre em suposto confronto com policiais no Rio

PMs disseram que faziam ronda numa localidade conhecida como Cachoeira Grande quando teriam sido surpreendidos pelo garoto e outros dois adolescentes armados

iG Minas Gerais | Folhapress |

Contêiner de UPP incendiado nas favelas do Lins de Vasconcelos
WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO
Contêiner de UPP incendiado nas favelas do Lins de Vasconcelos

 Um menino de 11 anos morreu ao ser atingido por um tiro de fuzil em suposta troca de tiros entre criminosos e policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da favela Camarista Méier, no complexo de favelas do Lins de Vasconcellos, na zona norte do Rio, nesta quinta-feira (15), por volta de 12h15.

Segundo investigadores da 25ª DP (Engenho Novo), PMs disseram que faziam ronda numa localidade conhecida como Cachoeira Grande quando teriam sido surpreendidos pelo garoto e outros dois adolescentes armados.

"Em seguida, um dos policiais efetuou apenas um disparo que atingiu o menino de 11 anos, que não resistiu e morreu na hora", afirmou um investigador à reportagem.

A coordenação das UPPs, no entanto, diz que houve troca de tiros e o garoto foi atingido por um disparo. A PM destaca que o garoto estava armado com uma pistola e carregava uma mochila com drogas e um rádio transmissor.

Mesmo assim, a coordenadoria de Polícia Pacificadora determinou a abertura de Inquérito Policial Militar.

As armas dos policiais foram apreendidas pela 26ª DP (Todos os Santos), que passou a investigar o caso a partir desta sexta (16). A PM informou também que o policiamento foi reforçado na região após o caso.

Policiais civis disseram que realizaram perícia no local ainda na tarde de quinta, mas o laudo só deve ficar pronto em 15 dias. Às 10h30 desta sexta, o corpo da criança continuava no IML (Instituto Médico Legal), em São Cristóvão, também na zona norte.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, familiares do menino negam que ele estivesse armado e que trabalhasse para o tráfico. No último dia 8, no entanto, o garoto foi levado por PMs à delegacia do Engenho Novo por circular na favela com um rádio transmissor semelhante ao que traficantes usam.