Aposta da base, Judivan sonha alto: "quero ser ídolo do Cruzeiro"

Aos 19 anos, o atacante, de apenas 1,77m, ainda tenta se acostumar com as câmeras e a atenção da mídia

iG Minas Gerais | Josias Pereira |

Garoto de 19 anos, Judivan sonha em entrar em campo pela primeira vez para defender o time profissional da Raposa
Divulgação/Cruzeiro
Garoto de 19 anos, Judivan sonha em entrar em campo pela primeira vez para defender o time profissional da Raposa

Habilidoso, veloz e ousado. Características que resumem bem Judivan, a grande aposta da base celeste para a temporada. Aos 19 anos, o atacante, de apenas 1,77m, ainda tenta se acostumar com as câmeras e a atenção da mídia. Todos querem saber mais sobre o garoto nascido em Souza, na Paraíba, que no ano passado disputou duas partidas na equipe profissional e mostrou personalidade. Mais do que isto, ganhou até um apelido de "Judivan Persie", uma alusão ao atacante e craque do Manchester United e da seleção holandesa.

"É tudo muito novo pra mim, estou procurando me soltar ao máximo", diz o jovem jogador sobre o assédio da imprensa e também dos torcedores.

Mas o garoto tem personalidade. E não titubeia ao falar sobre suas características e qualidades.

"Eu atuo mais pelas beiradas, em alguns treinos já atuei mais pelo meio, mas o lado que eu realmente gosto de jogar é pelo lado direito. Sou um jogador rápido, veloz, que pega a bola e busca o gol o tempo todo", destaca Judivan.

Um cartão de visitas para o técnico Marcelo Oliveira, e a certeza de que o elenco vitorioso das duas últimas temporadas ganhou mais uma boa opção ofensiva.

"São características minhas, desde a base sou assim. Eu tenho certeza que ele (Marcelo) vai explorar da melhor maneira possível. No momento certo, eu vou ter a oportunidade de jogar", completa.

Mas para chegar onde chegou, Judivan não teve lá uma vida muito fácil. O garoto habilidoso foi dispensado por Grêmio, São Paulo e até mesmo pela Raposa, quando em 2008 foi reprovado em um teste. Uma história que só foi em 2010. Hoje o passado não mais o assusta. A perspectiva de um futuro brilhante faz o atacante sonhar alto.

"Vim da base e subi para o profissional com o sonho de me firmar, ser um ídolo do Cruzeiro se possível", afirma.

"Primeiro eu quero fazer meu nome aqui, na seleção brasileira, que é o sonho de todo o jogador, e mais para frente penso na Europa", estabelece Judivan, e ele sabe que para ir além será preciso ouvir muito e aprender mais. O atacante está pronto para o desafio.

"No começo você fica meio assim, só via os caras (jogadores do profissional) na televisão, e agora eu estou do lado deles", comenta Judivan.

"Eu estou sempre conversando, não só com os meninos da base, mas com os experientes que tiveram passagem na base, estou procurando aprender a cada dia", finaliza.

Leia tudo sobre: cruzeiroraposajudivanatleta da basecategoria de basechanceprofissionalatacante