Pescador diz que peixes estão sumindo

iG Minas Gerais |

Como é aberta ao público, a lagoa Várzea das Flores, na divisa entre Contagem e Betim, recebe visita de banhistas e pessoas que pescam por lazer. “Nunca vi a lagoa assim. Um tronco que ontem estava embaixo da água, hoje já está exposto”, diz o aposentado Altamiro Cruz da Silva, 82, que vai à lagoa pescar todos os dias.

Segundo o Seu Cruz, como o conhecem, o número de banhistas está caindo, e os peixes começam a ficar escassos. “Mas ainda é possível tirar até traíra da lagoa”, afirma.

O operador de prensa Ilídio Almeida dos Reis, 37, aponta as nascentes secas e diz que nadava há dois anos em uma piscina que hoje está seca próxima à lagoa. “Hoje, não tenho coragem de entrar na água porque ela está parada. Como as nascentes estão secas, não entra água nova, prefiro evitar”, disse.

A falta de água das nascentes preocupa a equipe da Defesa Civil de Betim. “Não adianta só retirar a água, se não tiver uma forma de reposição. Para isso, as nascentes são fundamentais”, opina o engenheiro agrônomo da Defesa Civil Marcelo Lara.

Outro engenheiro da Defesa Civil, Josué Moura, também critica a falta de cuidado de quem visita a região. “Vem muita gente de moto, jipe, que invade a área de preservação. Isso causa assoreamento e prejudica as nascentes”, declarou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave