Contagem amplia informatização de monitoramento da dengue

Convênio firmado viabilizou a doação de 600 dispositivos eletrônicos móveis

iG Minas Gerais |

Saúde. 
Com o novo dispositivo adquirido, os agentes da dengue serão monitorados em tempo real
fabio silva
Saúde. Com o novo dispositivo adquirido, os agentes da dengue serão monitorados em tempo real

Um convênio entre o Ministério da Saúde, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) e a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, viabilizou a doação de 600 dispositivos eletrônicos móveis que auxiliarão nos trabalhos de combate ao mosquito transmissor da dengue e da febre chikungunya, o , feitos pelos Agentes de Combate à Endemias (ACEs) do município.aedes aegypt

Em todo o Estado, Contagem e Belo Horizonte são as primeiras cidades a receberem os equipamentos. Os aparelhos são os mesmos que foram utilizados pelo IBGE na realização do Censo de 2010. No aparelho, foi instalado o programa Monitora Dengue, desenvolvido pelo governo do Estado do Rio de Janeiro, com o intuito de que os municípios consigam acompanhar em tempo real o trabalho dos agentes de endemia na busca por focos do mosquito transmissor da doença.

A tecnologia agilizará a formulação de relatórios a partir dos dados coletados, permitindo a aplicação de estratégias mais rápidas para eliminação do mosquito vetor da dengue e da febre chikungunya, nos locais onde for constatado um maior índice de infestação.

Funcionamento

A chefe de unidade de Endemias da Gerência de Zoonoses, Shirley Rodrigues, detalhou como o novo aparelho auxiliará nos trabalhos. “Anteriormente, o cruzamento dos dados eram feitos a partir da digitação e preenchimento manual de boletins, cujas informações seriam posteriormente compiladas, acarretando alguma demora na obtenção de dados a partir do cruzamento das informações”, disse.

Shirley Rodrigues informa ainda que tanto o tratamento focal (aplicação de larvicida nos pontos de reprodução dos vetores nas residências) quanto o Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) – mapeamento de áreas de infestação –, com o equipamento, serão feitos com maior precisão. “No caso das visitas, um check-list das verificações que devem ser feitas pelos agentes, como vistoria na caixa-d’água, inspeção de garrafas e outros recipientes, está disponível no próprio aparelho, o que facilita muito no trabalho de campo”, disse.

O processo de implantação está começando pelo Distrito Eldorado, e todos os 250 agentes de endemias da Secretaria de Saúde, distribuídos nos setes distritos sanitários da cidade, passarão por treinamento para operação do aparelho.

O gerente de zoonoses da Secretaria de Saúde, Marco Túlio de Oliveira, explicou que nesse primeiro momento, está realizando, a partir do Distrito Eldorado, uma adequação dos parâmetros geográficos de trabalho. Isso porque o IBGE, trabalha com setores censitários, cujos critérios de divisão das residências se diferem do fracionamento domiciliar, feitos para os Distritos Sanitários de Saúde. “Estamos concluindo as alterações e adequações necessárias para o perfeito georreferenciamento dos dados”, explicou.

Redução

Perfil epidemiológico, produzido pela Gerência de Vigilância Epidemiológica (Gevepi) da Secretaria Municipal de Saúde de Contagem, assinalou redução de 96% dos casos de confirmados de dengue, no período de janeiro a dezembro de 2014, em relação ao mesmo período no ano de 2013. Em 2013, a Gevepi registrou 16.608 confirmações. Desse montante, apenas 28 foram de dengue hemorrágica.

Em 2014 foram 609 casos confirmados de dengue, nenhuma do tipo hemorrágico.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave