‘Se houve cartel, líder foi a Petrobras’

A empreiteira argumenta que não houve conluio das empresas contra a Petrobras e que a estatal tenta se passar por vítima

iG Minas Gerais |

Brasília. Apontada como líder das empreiteiras acusadas de desviar recursos da Petrobras, a UTC Engenharia partiu para o ataque. Em documento, afirmou que o suposto clube de empresas envolvidas no esquema de corrupção seria chefiado pela própria estatal. “Se cartel houve, (...) seu principal agente seria a Petrobras, sendo o suposto ‘clube’, no máximo, um instrumento das ações dela mesma”, afirma a UTC.  

A afirmação aparece na defesa da firma no processo em que foi proibida de fazer novos contratos com a Petrobras – medida que atingiu também mais 22 construtoras citadas na operação Lava Jato. O papel foi entregue na última terça-feira à estatal. Ao contestar seu afastamento, a UTC diz que a Petrobras controlava todo o processo de contratação de fornecedores: organizava as licitações, convidava as concorrentes e dava o preço final.

A empreiteira argumenta que não houve conluio das empresas contra a Petrobras e que a estatal tenta se passar por vítima. “Se o conjunto de fornecedores da Petrobras merece a alcunha de ‘clube’, deve-se lembrar que seu fundador e mantenedor somente poderia ser o próprio monopsônio (único comprador do mercado)”, diz o texto.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave