Troca de agulhas irrita pacientes da hemodiálise

Objeto foi substituído por outro de espessura mais grossa, que estaria causando ferimentos nos braços; usuários também reclamam da excessiva perda de sangue

iG Minas Gerais | Dayse Resende |

Polêmica. 
Na foto, paciente mostra a excessiva perda de sangue após diálise com agulha mais grossa
Polêmica. Na foto, paciente mostra a excessiva perda de sangue após diálise com agulha mais grossa

 

Pacientes do setor da hemodiálise do Hospital Regional de Betim se reuniram na tarde de quinta-feira (15) com a gerência da unidade para reclamar da falta de estrutura. Um dos principais problemas é que as agulhas usadas no tratamento foram trocadas por outras com a espessura mais grossa, que estão causando feridas. Além disso, os pacientes renais também se queixam do fato de o setor não ter ar-condicionado e estar com as cadeiras quebradas e rasgadas.    A denúncia foi feita por uma paciente, que pediu para não ser identificada por medo de represálias. Revoltada com o descaso do município com o setor, ela encaminhou à reportagem de O Tempo Betim algumas fotos da última diálise que fez, ocasião em que teve muita perda de sangue devido à nova agulha usada pelos médicos da unidade de saúde. “Há cerca de dez dias, a prefeitura fez a troca de agulhas mais finas por outras de espessura mais grossa, e isso tem causado feridas nos braços dos pacientes e uma excessiva perda de sangue. A situação é absurda e inaceitável. Nós, pacientes renais, já sofremos muito com a doença em si”, disse.   Outro paciente, que também preferiu anonimato, voltou a se queixar da falta de ar-condicionado no setor. “A situação da hemodiálise chega a ser desumana. Há anos pedimos que a prefeitura instale ar-condicionado no setor, mas nenhuma providência é tomada. Em dias de muito calor, como tem sido nessas últimas semanas, a gente quase derrete”, frisou.    Ele também reclamou de que as cadeiras estão sucateadas. “Muitas estão rasgadas ou quebradas”, completou.   Vale lembrar que, desde a gestão passada, os pacientes renais estão à espera da ampliação do setor. Para eles, essa medida seria a solução para acabar com o déficit de vagas na hemodiálise.    Resposta Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde informou que a empresa responsável pelo fornecimento das agulhas que eram utilizadas pela hemodiálise não demonstrou interesse em participar da última licitação e que, por isso, uma nova empresa está fornecendo o material para o setor, conforme licitação realizada.    A assessoria informou, ainda, que está realizando um estudo sobre a troca do mobiliário da hemodiálise da unidade. “Nesta segunda-feira (19), será iniciada a instalação de quatro aparelhos de ar-condicionado no setor”, frisou.   Sobre a terceirização do setor, anunciada pela prefeitura em junho do ano passado, a Secretaria Municipal de Saúde explicou que o convênio assinado pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paraopeba (Cismep) com o governo do Estado não foi viabilizado em função de falta de repasse de verba por parte deste. “Por esse motivo, o setor de hemodiálise continuará sob administração do município”, completou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave