Guarda municipal ferida terá que passar por cirurgia plástica

O assessor de imprensa da Guarda Municipal, Roger Victor, também informou que o órgão vai apurar o incidente e que as medidas cabíveis serão tomadas

iG Minas Gerais | aline diniz / Cinthia Ramalho |

Uma guarda ficou ferida após ser atingida no rosto por uma bala de borracha
Web Repórter
Uma guarda ficou ferida após ser atingida no rosto por uma bala de borracha

A agente da Guarda Municipal Lilian Emiliana de Oliveira, 28, atingida pela bala de borracha, teve uma perfuração na bochecha, perdeu três dentes e fraturou a mandíbula. Ela foi encaminhada para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, onde, segundo informações de familiares, terá que passar por uma cirurgia plástica para correção dos ferimentos. Apesar das lesões, o estado de saúde dela é estável.

Outra agente da guarda, que presenciou a discussão, deu sua versão de como começou a briga. Ela relatou que os agentes abordaram um homem que estava atuando como taxista irregularmente na região central. Ele teria reagido, gritando que era policial militar.

A operação no centro da capital contava com sete guardas municipais. Após o início da discussão, quatro viaturas da Polícia Militar apareceram, e começou a discussão entre os agentes das duas corporações.

“Aí o cabo (que atirou na agente) saiu do local, entrou na viatura, pegou a arma (de bala de borracha) e a carregou. Depois ele apontou a arma para onde os guardas municipais estavam e disparou”, contou a agente, que, com medo de sofrer represálias, pediu para não ser identificada.

Detenção. O cabo da Polícia Militar que atirou com a bala de borracha foi preso pela Corregedoria da Polícia Militar. Ele deve responder a um processo disciplinar interno e ainda pode ser indiciado pela Polícia Civil por lesão corporal grave.

O assessor de comunicação social da Polícia Militar, tenente-coronel Gedir Rocha, afirmou que a corporação vai abrir um processo para investigar o que aconteceu durante a abordagem e irá responsabilizar os policiais militares caso seja comprovado que houve irregularidades.

O assessor de imprensa da Guarda Municipal, Roger Victor, também informou que o órgão vai apurar o incidente e que as medidas cabíveis serão tomadas. O subcomandante da Guarda, Sinval José Campos, classificou a ação do policial como “uma aparente atuação péssima”. Segundo ele, o episódio foi lamentável, principalmente porque Lilian deve ficar com sequelas.

Punição Pena. O militar que foi preso por atirar contra a guarda municipal pode ser condenado a pena de um a cinco anos de prisão por lesão corporal grave e até ser expulso da corporação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave