Governo belga realiza reunião de crise durante operação antiterrorista

Polícia concluiu sua operação em uma antiga padaria da cidade de Verviers, 120 km a leste de Bruxelas, onde dois suspeitos morreram e um foi detido

iG Minas Gerais | AFP |

O primeiro-ministro belga, Charles Michel, presidiu na noite desta quinta-feira (15) uma reunião de crise do gabinete, enquanto a polícia prosseguia com as operações antiterroristas que levaram à morte de dois supostos jihadistas e a prisão de um terceiro.

Michel convocou os ministros do Interior, Jan Jambon, e da Justiça, Koen Geens, para uma reunião com os serviços de segurança, informou a agência belga de notícias.

A polícia concluiu sua operação em uma antiga padaria da cidade de Verviers, 120 km a leste de Bruxelas, onde dois suspeitos morreram e um foi detido, "mas as operações prosseguem", disse o oficial da polícia Marcel Simonis.

O policial confirmou que continuam as operações em Bruxelas, mas desmentiu uma nova operação em  Anderlecht, no subúrbio da capital belga, como informou a imprensa.

O nível de alerta foi elevado para três, em uma escala que vai até quatro, para as delegacias e os tribunais em toda a Bélgica.

As delegacias foram fechadas ao público e os agentes receberam armamento pesado.

A Procuradoria nacional informou sobre uma "ameaça iminente e de grande envergadura" para justificar as operações policiais desta quinta.

Leia tudo sobre: Antiterrorista; Bélgica