Hezbollah garante ter mísseis iranianos para atingir Israel

Síria já acusou Israel em oito ocasiões, desde janeiro de 2013, de lançar ataques aéreos contra instalações no país, em particular no dia 7 de dezembro, na região de Damasco

iG Minas Gerais | AFP |

O líder do Hezbollah libanês anunciou nesta quinta-feira (15), pela primeira vez, que seu partido possui desde 2006 mísseis iranianos Fateh-110, com capacidade para atingir Israel, seu inimigo número um. Esses artefatos têm 200 quilômetros de alcance.

"Conseguimos esses mísseis há muito tempo, desde 2006", afirmou Hassan Nasrallah, referindo-se à entrega desses armamentos, por parte do Irã, ao partido xiita, na entrevista concedida ao canal Al-Mayadeen, com sede em Beirute. "Estamos mais fortes do que nunca", afirmou Nasrallah.

Em 2012, funcionários do Pentágono indicaram que o Hezbollah dispunha de 50 mil mísseis balísticos, entre eles 40 a 50 Fateh-110, capazes de atingir Tel Aviv e a maior parte do território israelense, assim como 10 mísseis Scud-D.

"Os repetidos bombardeios sobre diferentes objetivos na Síria constituem uma grave violação" deste país, advertiu Nasrallah, cujo grupo historicamente tem vínculos com o regime de Damasco.

Uma resposta do eixo formado por Síria, Irã e Hezbollah "pode ocorrer a qualquer momento".

A Síria já acusou Israel em oito ocasiões, desde janeiro de 2013, de lançar ataques aéreos contra instalações no país, em particular no dia 7 de dezembro, na região de Damasco.

O Estado hebreu não assumiu sua responsabilidade nos ataques aéreos ao Líbano, mas sempre assinalou sua determinação em impedir a "transferência de armas" da Síria para o Hezbollah.

Segundo a imprensa israelense, o ataque de 7 de dezembro atingiu comboios e depósitos de armas "sofisticadas" (mísseis anticarro e terra-ar) destinados ao Hezbollah.

Graças ao apoio financeiro e militar concedido por Damasco e Teerã, o Hezbollah repeliu em 2000 o Exército israelense após 22 dias de ocupação do sul do Líbano.

Na mesma entrevista, Nasrallah disse que o Hezbollah está pronto para invadir a Galileia (norte de Israel), repetindo a ameaça proferida em 2011.

"Não vamos procurar uma nova guerra (...) mas estamos preparados. Se o comando da Resistência (Hezbollah) convocar seus combatentes para entrar na Galileia, estarão preparados".

Perguntado sobre o conflito sírio, Hassan Nasrallah, aliado do regime em Damasco, afirmou que "qualquer solução na Síria sem o presidente (Bashar Al) Assad é impossível".

Leia tudo sobre: Guerra; Síria; Israel