Rafael Marques quer sucesso no Palmeiras para se afastar da China

No Verdão, o atacante herdou a camisa 19, que foi de Henrique, artilheiro do time no Brasileiro, em 2014

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Rafael Marques estava no futebol chinês, onde marcou apenas quatro gols em 20 jogos
Cesar Greco/ Ag. Palmeiras/ Divulgação
Rafael Marques estava no futebol chinês, onde marcou apenas quatro gols em 20 jogos

Emprestado pelo Henan Jianye, da China, por um ano, o atacante Rafael Marques, 31, reforço do Palmeiras, quer distância do Oriente.

"Não pretendo voltar para a China, não. Minha intenção é fazer um ano bom aqui, vitorioso, com conquistas, e permanecer mais alguns anos", disse o jogador, em sua apresentação no clube alviverde.

Na China, o atacante não teve bom desempenho, anotando apenas quatro gols em 20 jogos. No Palmeiras, Rafael herdou a camisa 19, que foi de Henrique, artilheiro do time no Brasileiro, em 2014. E disse ter características diferentes das dos seu antecessor.

"O Henrique é mais um centroavante. Eu não gosto de ficar parado lá na frente", disse. Rafael não quis estabelecer uma meta de gols para este ano.

"Uma coisa que não faço é prometer. Não prometo nada para a minha filha, para a minha esposa", diz.

"Se promete, tem que cumprir. Se não cumprir, você não tem palavra de homem. Lógico que quero fazer gols, mas acontece naturalmente", completou.

Revelado pelo Palmeiras, onde atuou em 2004, o jogador disse ainda que tem o ex-goleiro Marcos, de quem foi companheiro de elenco, como ídolo.

"Ainda não o revi nesta volta, mas espero que aconteça logo", disse.

ZAGUEIRO

O Palmeiras apresentou nesta quinta o novo dono da camisa 3. O zagueiro Victor Ramos, 25, chega ao clube emprestado por um ano pelo Monterrey, do México.

Revelado pelo Vitória-BA, o jogador, até hoje, teve mais destaque pelas companhias femininas do que pelo desempenho no campo. E está louco para mudar esta fama.

A modelo Nicole Bahls, ex-integrante do programa "Pânico na Band", é a conquista mais famosa do jogador.

"Meu foco no Palmeiras é jogar futebol. Vocês vão conhecer o Victor Ramos jogador de futebol, que de vez em quando marca até golzinho de cabeça. Esquece vida pessoal, com famosos", disse o defensor.

O atleta, que surgiu no Vitória em 2008, já jogou também pelo Vasco, antes de se transferir para o México.

O jogador não apostou na modéstia em sua apresentação, e tratou de enumerar as qualidades que acredita ter. 

"Sou muito bom na bola aérea, um zagueiro muito técnico. Para a minha altura, sou muito rápido.

Tenho bom passe. Não tem bola perdida para mim. Gosto de falar, me comunicar lá atrás, falar muito", disse.

O camisa 3 ainda teve tempo de cometer uma gafe. Quando indagado sobre seu ídolo no futebol, Victor citou um desafeto da torcida do Palmeiras.

"Meu ídolo é o Edilson, meu conterrâneo, o Capetinha. Jogou aqui no Palmeiras, veio do nada como eu. Tenho carinho e respeito muito", disse.

Edilson, bicampeão paulista e brasileiro pelo Palmeiras em 1993 e 1994, caiu em desgraça com os palmeirenses após jogar pelo Corinthians no final dos anos 1990 e começo dos 2000.

Em 1999, Edilson foi pivô de uma briga generalizada entre jogadores do Palmeiras e do Corinthians, no segundo jogo da final do Paulista, após fazer embaixadinhas e parar a bola na nuca.

Leia tudo sobre: palmeirasrafael marquesvictor ramospre-temporadachina