Oposto Wallace, do Brasil Kirin-SP, está de fora da temporada

Jogador vinha em boa fase até ser surpreendido com a notícia; substituto será o jovem Baiano, que tem a confiança do grupo

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Wallace lamentou a saída, mas acredita no potencial do jovem substituto
Divulgação
Wallace lamentou a saída, mas acredita no potencial do jovem substituto

Uma das principais contratações do Vôlei Brasil Kirin-SP para a temporada 2014/2015 não poderá mais ajudar o time na Superliga e Copa Brasil. O oposto Wallace, que chegou a ser um dos maiores pontuadores da Superliga, passou por uma cirurgia no joelho no último sábado e precisará ter paciência para retornar às quadras.

O departamento médico constatou uma lesão no tendão supra patelar e a intervenção foi a melhor opção para corrigir o problema.

"Fiquei muito surpreso, pois, infelizmente a notícia não foi boa. Somos atletas e estamos sujeitos a esse tipo de situação. Acredito que tudo na vida tem um propósito e que isso irá contribuir também para o meu crescimento profissional", indica o jogador, tentando mostrar um lado positivo na situação.

Apesar da ausência do seu oposto, o técnico Alexandre Stanzioni espera que o time não deixe o rendimento cair.

"O momento agora é de dar força aos atletas lesionados para que eles tenham uma boa recuperação. Nossa ideia é retomar o padrão de jogo para conseguirmos uma boa sequência de resultados", projeta o comandante.

Quem terá a missão de substituir Wallace será o jovem Baiano, que já mostrou potencial nos últimos jogos.

"É uma oportunidade única e muito importante na minha carreira. Infelizmente não veio da melhor forma. Não só eu, como todos do grupo, sentimos muito a falta do Wallace. Mas também estou confiante, a equipe me dá força e agora a expectativa é de buscar um novo modo de jogo para seguirmos bem no campeonato", relata Baiano.

Wallace mostra confiante no seu suplente e isso ameniza a dor de ficar de fora da temporada.

"O que me deixa mais tranquilo é que o Baiano possui um grande potencial e tenho certeza que o grupo irá ajudá-lo a superar todas as dificuldades. São em momentos difíceis como esse que conseguimos ver a força do grupo", salienta.