Quadrilha de roubo de carga lucrou mais de R$ 2 milhões em seis meses

Eles foram presos, inclusive o líder e o intermediário do grupo, e a polícia acredita que este tipo de crime deve diminuir no Estado

iG Minas Gerais | BÁRBARA FERREIRA/ JULIANA BAETA |

Um dos caminhões roubados pela quadrilha
Divulgação/ Polícia Civil
Um dos caminhões roubados pela quadrilha

A principal quadrilha especializada em roubos de carga de polietileno (um dos tipos mais comuns de plástico) e aço em Minas foi desmantelada e apresentada pela Polícia Civil nesta quinta-feira (15). Com a prisão do grupo, o delegado Marcus Vinícius, da 6ª Delegacia Especializada de Repreensão às Organizações Criminosas/Cargas (Deroc), acredita que este tipo de crime irá diminuir consideravelmente no Estado.

Ao todo, foram presos cinco pessoas, inclusive o responsável por intermediar as cargas roubadas com os compradores e o líder da quadrilha. A atuação do grupo era principalmente em Minas, mas ele atuava também no Espírito Santo e tinha ramificações no Rio de Janeiro.

As investigações começaram há cerca de seis meses, e estima-se que neste período, o grupo praticou pelo menos 10 roubos, lucrando cerca de R$ 2 milhões com eles.

Na última semana, a polícia conseguiu interceptar o último assalto, ocorrido em Manhuaçu, na Zona da Mata, na quinta-feira (8). O roubo aconteceu por volta de 23h, e a polícia flagrou os suspeitos abordando o motorista de um caminhão. O grupo foi seguido e preso em João Monlevade, onde a iria acontecer a troca da carga.

Como agiam

Segundo o delegado Marcus Vinícius,  a quadrilha agia da seguinte forma: usavam um Corolla - que foi apreendido após a operação - para abordar os motoristas nas paradas onde eles costumavam descansar, geralmente, postos de gasolina. A vítima era colocada no Corolla e um dos suspeitos manobrava o caminhão.

Eles dirigiam até um local seguro previamente combinado, onde o intermediário pegava a carga.

As investigações continuam, porque o delegado acredita que possa existir outros intermediários. Os esforços agora serão concentrados em identificar os compradores.