Terço na mão, oração e a cura pela fé

Aos 80 anos a benzedeira Dalila Senra Fabri

iG Minas Gerais | Natália Oliveira |

MAGAZINE . BELO HORIZONTE , MG

PBH concede premio para Mestres da Cultura Popular

NA FOTO: Dona Dalila, de 96, que e uma das agraciadas do premio

FOTO: LINCON ZARBIETTI / O TEMPO / 12.12.2014
Lincon Zarbietti / O Tempo
MAGAZINE . BELO HORIZONTE , MG PBH concede premio para Mestres da Cultura Popular NA FOTO: Dona Dalila, de 96, que e uma das agraciadas do premio FOTO: LINCON ZARBIETTI / O TEMPO / 12.12.2014

Terço nas mãos, fé e muita vontade de ajudar ao próximo. Aos 80 anos, Dalila Senra Fabri cura pela oração. Crianças, adultos, idosos, mulheres, homens lotam a casa da benzedeira durante todo o dia. Não importa a idade, o sexo, a cidade, a classe social, basta mesmo ter fé e acreditar na cura dada por ela.

O reconhecimento é tanto que recentemente ela se tornou um patrimônio imaterial de Belo Horizonte recebendo o prêmio da Fundação Municipal de Cultura como mestre da cultura popular da cidade em dezembro passado.

“Uma vez veio uma mulher aqui dizendo que estava com câncer na garganta e eu logo vi que era uma espinha de peixe e falei pra ela. Depois que eu a benzi ela saiu daqui e quando estava indo embora começou a tossir e cuspiu o espinho”, contou a benzedeira.

Para Dalila o reconhecimento é uma volta de todos os “Deus te pague” que recebeu pelas pessoas que benzeu, já que ela nunca cobrou pelas orações, sempre realizadas em sua casa no bairro Santa Mônica, em Venda Nova.

Veja um vídeo com a história de Dalila:

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave