Papa diz que liberdade de expressão não dá direito de insultar

Francisco também pediu aos líderes mundiais mais coragem nas negociações para chegar a um acordo global

iG Minas Gerais | AFP |

Pope Francis waves to students (not pictured) delivering a performance shortly after arriving at a military airbase in Manila on January 15, 2015, while President Benigno Aquino (R) smiles. Pope Francis will immerse himself January 15 in the Catholic Church's passionate and chaotic Asian heartland as he lands in the Philippines for a five-day trip that is tipped to attract a world-record papal crowd. AFP PHOTO/TED ALJIBE
TED ALJIBE / AFP
Pope Francis waves to students (not pictured) delivering a performance shortly after arriving at a military airbase in Manila on January 15, 2015, while President Benigno Aquino (R) smiles. Pope Francis will immerse himself January 15 in the Catholic Church's passionate and chaotic Asian heartland as he lands in the Philippines for a five-day trip that is tipped to attract a world-record papal crowd. AFP PHOTO/TED ALJIBE

O papa Francisco condenou nesta quinta-feira (15) os assassinatos em nome de Deus, mas insistiu que não se pode insultar ou debochar da religião de outras pessoas.

Os comentários do Papa foram feitos a bordo do avião que o levava de Sri Lanka às Filipinas e se referiam aos ataques jihadistas contra a revista francesa Charlie Hebdo, quando 12 pessoas foram mortas.

Durante a entrevista informal, o papa também pediu aos líderes mundiais mais coragem nas negociações para chegar a um acordo global sobre a mudança climática na cúpula de Paris, no fim deste ano.

"Esperemos que os governos sejam mais corajosos em Paris do que foram em Lima", afirmou Francisco aos jornalistas a bordo do avião papal.