Atividade econômica fica estável em novembro e tem retração no ano

Projeção do governo é de que 2014 tenha encerrado com um crescimento de 0,2% do PIB; queda de 0,7% na produção industrial teve peso no fraco crescimento do indicador do BC

iG Minas Gerais | Folhapress |

Indústrias mineiras produziram 1,4% a menos em setembro em relação a agosto
BOSCH / DIVULGAÇÃO
Indústrias mineiras produziram 1,4% a menos em setembro em relação a agosto

O desempenho da economia brasileira melhorou discretamente em novembro e continua acumulando retração no ano, o que reforça a previsão de que 2014 deve terminar com um crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) próximo a zero.

O indicador mensal de atividade do Banco Central, o IBC-Br, avançou 0,04% em novembro em relação a outubro, descontados efeitos sazonais (como número de dias úteis). Em outubro, o indicador havia caído 0,26% na comparação com setembro.

Apesar do bom desempenho das vendas no varejo no mês, a queda de 0,7% na produção industrial teve peso no fraco crescimento do indicador do BC, que serve como termômetro do PIB ao longo dos meses.

De janeiro a novembro, o IBC-Br registra queda de 0,12% em relação ao mesmo período de 2013. Em 12 meses, houve queda de 0,01% na comparação com os 12 meses anteriores. Em relação a novembro do ano passado, houve queda de 0,5%.

Crescimento em 2014

A projeção do governo é de que 2014 tenha encerrado com um crescimento de 0,2% do PIB, um resultado abalado, no argumento oficial, pelo prolongamento da crise, pela falta de chuvas, piora nos índices de confiança de consumidores e empresários e até pela Copa do Mundo, com a redução de dias úteis.

Para 2015, o mercado aposta numa elevação de 0,4% do PIB, como mostra a última pesquisa semanal com economistas de mercado conduzida pelo Banco Central.

Leia tudo sobre: Banco Central; economia;