Moscou e Washington discordam sobre causa

iG Minas Gerais |

Miami. “A situação é complicada, mas está sob controle. Tais vazamentos de amoníaco já aconteceram no passado”, disse um representante do centro de controle russo. Reparar um possível vazamento poderia, segundo ele, necessitar uma saída no espaço, mas não a evacuação de toda a tripulação.

Contudo, Rob Navias, comentarista da Nasa, afirmou ao canal de televisão da agência espacial que, apesar de o alarme ter realmente soado, “nenhum dado indicava”, até o momento, um vazamento de amoníaco.

“Os controladores do Centro Espacial em Houston detectaram um aumento da pressão na água do sistema de controle de temperatura B, e, em seguida, observaram um aumento da pressão na cabine que poderia indicar, no pior dos cenários, um vazamento de amoníaco”, explicou a Nasa em seu site.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave