Estação tem problemas, e americanos buscam abrigo no setor russo

Após alarme, os seis membros da equipe abandonaram setor dos EUA na nave

iG Minas Gerais |

Missão. A Estação Espacial Internacional está orbitando a Terra desde 1998
NASA/Divulgação
Missão. A Estação Espacial Internacional está orbitando a Terra desde 1998

Miami, EUA. Os seis astronautas da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) estão a salvo e se refugiaram no segmento russo depois de um alarme disparar no lado norte-americano da ISS, anunciou a Nasa ontem.

Um representante do centro de controle russo informou às agências de notícias russas que o alarme disparou devido a um vazamento de amoníaco, um gás incolor que pode causar queimaduras nos olhos e pulmões.

A agência espacial norte-americana não confirmou, no entanto, que um vazamento de amoníaco tenha sido a causa do alarme, como havia reportado a agência espacial russa no início do dia.

“Os controladores de voo da ISS não sabem se o alarme foi acionado por um pico de pressão, um captor defeituoso ou um problema técnico”, indicou a Nasa em sua conta no Twitter.

Por medida de segurança, foi pedido aos membros da tripulação que se isolassem no segmento russo enquanto as equipes em terra avaliam a situação. Os equipamentos não essenciais da estação também foram desligados.

Estação ESPACIAL. Dezesseis países participam da ISS, posto avançado e laboratório espacial colocado em órbita em 1998 que custou US$ 100 bilhões, financiados principalmente pela Rússia e pelos Estados Unidos.

Assim como a Rússia, a Europa não está disposta a financiar a ISS após 2020. A situação é preocupante, uma vez que a Rússia fornece à estação seu principal módulo, onde se situam os motores-foguetes, e os foguetes russos Soyouz são, desde o fim das atividades das naves espaciais norte-americanas, o único meio de se chegar e de repatriar a tripulação da ISS.

A ISS é um dos raros domínios da cooperação russo-americana que não sofreu com a degradação das relações entre os dois países com a crise na Ucrânia, que fez com que os ocidentais adotassem sanções econômicas sem precedentes contra a Rússia.

A tripulação da ISS é formada atualmente por seis membros, dois americanos (o comandante Barry Wilmore e Terry Virts), três russos (Elena Serova, Alexander Samokutyaev e Anton Shkaplerov) e uma italiana (Samantha Cristoforetti).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave