“Se Cerveró falar, será uma bomba”

iG Minas Gerais |

A prisão de Nestor Cerveró causou apreensão aos políticos em Brasília. Um membro da cúpula do PMDB disse ao blog do jornalista Gerson Camarotti que, se Cerveró falar o que sabe, será uma “bomba”.

“É preciso saber a capacidade de resistência do Cerveró. Se ele falar como Paulo Roberto Costa, será uma bomba”, disse o peemedebista ao blog do Camarotti.

O temor entre os partidos da base aliada do governo de Dilma Rousseff é que Cerveró, depois de um período na prisão, acabe colaborando com delação premiada, como fizeram Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da estatal, o doleiro Alberto Youssef e até mesmo alguns executivos de empreiteiras.

A maior preocupação hoje é entre integrantes do PMDB, já que Cerveró é apontado nas delações premiadas já feitas até o momento como um operador do partido na Petrobras.

Nem PT, nem PMDB assumem a indicação de Cerveró, que já chegou a ser abandonado no início das investigações. Mas, ao sinalizar que poderia contar o que sabe, voltou a ter apoio do governo. Até participou de um media training patrocinado pela Petrobras. Quando Costa explicou a participação de Cerveró, o ex-diretor foi deixado de lado novamente. (Da Redação)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave