Duas agências rebaixam avaliação de risco da Mendes Júnior

Resultado se deu após crescente dificuldade da construtora de gerenciar seu caixa após a Operação Lava Jato da Polícia Federal

iG Minas Gerais | AFP |

As agências de classificação de risco Standard & Poor's e Moodys decidiram rebaixar nesta quarta (14) as avaliações da construtora Mendes Júnior, citando a crescente dificuldade da construtora de gerenciar seu caixa após a Operação Lava Jato da Polícia Federal. Na véspera, a agência Fitch também tinha rebaixado a avaliação da construtora pelo mesmo motivo.

Na Standard & Poor's, a nota da Mendes Júnior foi rebaixada de 'B' para 'CCC+' na escala global e de 'brBB-' para 'brCCC+' na escala brasileira. Os ratings globais, que estão na faixa de grau especulativo (contrário de grau de investimento, selo de bom pagador), são considerados de alto risco de calote. A perspectiva para a avaliação é negativa, o que sinaliza que novos rebaixamentos podem ser adotados.

"As investigações sobre corrupção em curso têm prejudicado a capacidade de geração de fluxo de caixa da empresa brasileira de engenharia e construção e pressionando ainda mais sua liquidez", afirma a S&P, em comunicado.

Já a Moody's alterou o rating [nota] da Mendes Junior de "B3" para "Ca", também considerado de alto risco de calote. "O rebaixamento reflete a crescente incerteza em relação a performance operacional da Mendes Júnior", afirmou, em nota.

A Moody's lembra ainda que a Petrobras suspendeu os negócios com a Mendes Júnior e outras 22 empresas citadas na Operação Lava Jato. "A Petrobras é um cliente relevante da Mendes Júnior, atualmente respondendo por 15% das receitas", afirmou.

Leia tudo sobre: Lava Jato; Mendes Júnior;