Piloto da Nascar afirma que ex-namorada é 'matadora de aluguel'

Segundo o jornal britânico The Guardian, Kurt Busch disse em depoimento à Justiça dos EUA, que Patricia Driscoll participava de missões secretas ao redor do mundo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O corredor e a ex-namorada estão proibidos judicialmente de manter contato, após várias brigas
Jared C. Tilton/AFP
O corredor e a ex-namorada estão proibidos judicialmente de manter contato, após várias brigas

O piloto da Nascar, Kurt Busch revelou à Justiça dos Estados Unidos, que acredita que a sua ex-namorada Patricia Driscoll é uma assassina de aluguel e que participa de  missões secretas ao redor do mundo. O corredor e a ex-namorada estão proibidos judicialmente de manter contato, após várias brigas.

Segundo o jornal britânico The Guardian, o ex-casal participou nos últimos dias de audiências para resolver o problema entre os dois. Em uma das sessões, Kurt disse em depoimento ao seu advogado, Rusty Hardin, que ele já presenciou as supostas “atuações” de Patricia como matadora de aluguel.

“Todo mundo que está vendo a situação de fora pode dizer que eu sou louco, mas eu morava no interior (com Patricia) e vi em primeira mão", disse Kurt.

O piloto da Nascar ainda chegou a dizer que a ex-namorada participava de missões em toda a América do Sul e Central,e também na África. Kurt Busch revelou, ainda, que já viu Patricia voltando para casa com um casaco camuflado sobre um vestido de festa, que estava coberto de sangue. Além disso, ela já teria mostrado fotos de corpos com ferimentos de bala.

Durante as audiências, Patricia Driscoll não confirmou a informação, mas também não desmentiu. Mas em entrevista à Associated Press, a ex-namorada de Kurt negou a história.

"Estas declarações sobre eu ser um assassina treinada, matadora de aluguel, são ridículas e sem fundamento e são uma tentativa de destruir a minha credibilidade. Nem mesmo Rusty Hardin (advogado de Kurt Busch)  acredita nisso", afirmou Patricia.  

Leia tudo sobre: nascarkurt buschpilotopatricia driscollex-namoradajustiçaestados unidos