Avacoelhada

iG Minas Gerais |

O América precisa se adaptar ao calendário das competições do sub-20. A Copa São Paulo tem bastante divulgação, pela tradição e por ser realizada no período de férias dos profissionais. Taça BH, Copa do Brasil e Mineiro são outras disputas durante o ano. O Coelhãozinho só entrou no Brasileiro por convite. Apesar de ser realizada em janeiro, a prioridade e o início da transição para a equipe principal deveriam ser a Copa SP. A partir de fevereiro, os jogadores que estiverem no último ano do júnior devem começar a se acostumar com o ambiente profissional, iniciar os trabalhos de aprimoramento físico e ser relacionados entre os 23 convocados para as partidas no Independência. Com a promoção, estariam mais bem preparados para ser aproveitados em 2016, enquanto os juniores sub-19 ficariam mais entrosados para a próxima Copa São Paulo.

A voz da Massa

Saudações alvinegras! Pré-temporada. Essa palavra representa o pesadelo de muitos jogadores de futebol que não gostam de treinamentos. Mas é precisamente isso que acontece nessa fase preparatória: muito treinamento e atividade física. Os treinos são puxados, quase sempre acontecem pela manhã e à tarde e ainda costumam durar mais tempo que o normal. Só de ouvir falar, a boleirada já fica arrepiada! Mas a pré-temporada é muito importante. É a oportunidade que o jogador tem de adquirir boa base física para o ano todo. Quem não faz boa pré-temporada está sujeito a sofrer lesões físicas durante todo o período de jogos. Foi isso que aconteceu com alguns jogadores do Galo no ano passado, quando o então técnico Paulo “Barca Furada” Autuori dispensou a pré-temporada. Não tem alternativa, pessoal. O jeito é ralar agora para colher os frutos na frente.

 

A voz Celeste

Saudações celestes, nação azul. Quero reafirmar minha plena e total confiança na diretoria celeste. É óbvio que perderíamos um dos nossos destaques, pois propostas sempre vêm, e claro que o tetracampeão brasileiro está na mira. Lucas Silva foi assediado pelo Real Madrid, o Monaco tentou levar Everton Ribeiro. Em outros tempos, seria uma verdadeira liquidação de craques. Se entenderam que era a hora para alguns saírem, eu vou confiar. Muitos ficaram na bronca, mas acho exagero quando falam em “desmanche” na Toca. Pelo contrário, percebo uma renovação natural do elenco. Este momento, em que alguns criticam a venda de Ricardo Goulart, me traz à lembrança a época em que Montillo se foi e muitos falavam que em 2013 iríamos apenas brigar para não cair. Hoje temos dois títulos brasileiros alcançados por essa gestão. Então vamos confiar! 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave