Quem será o herdeiro da 10?

Atual elenco tem alguns candidatos para ficar com a camisa que foi de um dos gênios da bola

iG Minas Gerais | Diego Costa |

Ronaldinho Gaúcho foi o maior camisa 10 da história de mais de cem anos do Atlético
João Godinho – 13.4.2014
Ronaldinho Gaúcho foi o maior camisa 10 da história de mais de cem anos do Atlético

Com quem será que a camisa 10 do Galo vai ficar? Nas últimas temporadas, o Atlético adotou a numeração fixa, uma tendência também para 2015. Com isso, fica a dúvida para saber quem estampará, nas costas, o místico número tradicionalmente usado por tantos craques do futebol brasileiro e mundial.

A última vez que o atleticano viu a camisa 10 preta e branca em campo foi no dia 23 de julho de 2014. Era a final da Recopa Sul-Americana, contra o Lanús-ARG, na vitória por 4 a 3. A partida marcou a despedida de Ronaldinho Gaúcho, dono do casamento mais perfeito com a 10 alvinegra de todos os tempos. Eleito melhor do mundo por duas vezes, R10 usou o número em 56 oportunidades. Lembrando que, em 2012, ele teve de vestir o número 49, já que Guilherme era o 10 do Galo naquela temporada.

E o meia-atacante é justamente um dos nomes que aparecem como candidatos a herdar a famosa vestimenta. Após a saída do Gaúcho, ele foi o cérebro do meio-campo alvinegro nas quatro linhas. Por causa disso, Guilherme aparece como o sucessor natural de Ronaldinho. O problema é que, nas condições atuais, a camisa 10 voltaria a ficar órfã em março, mês de término do contrato vigente do atleta com o Galo. As conversas até avançaram, mas a situação segue indefinida. Como na Copa Libertadores da América a relação dos inscritos já é passada com a numeração definitiva, tudo caminha para o armador envergar mais uma vez o número 10.

Ao comentar a situação do atleta, o próprio técnico Levir Culpi deixou claro o desejo de contar com Guilherme para ser o grande articulador das jogadas.

“Eu conto com ele (Guilherme). Nós nos entendemos muito bem. Eu gosto muito dele. É um cara especial. Não é um cara normal. A história dele é triste, mas é feliz também, pois chegar aonde ele chegou não é para qualquer um. Teve uma vida bem diferente. Por isso que tento preservá-lo, pois tenho prazer de vê-lo jogando. Quem gosta de futebol, gosta de ver a técnica, a maneira de pensar o jogo. Quero muito contar com ele. Nós resolvemos o problema sem ele, mas se ele ficar será bem legal”, disse o treinador do Galo.

Pelas funções que exerce em campo, o atacante Diego Tardelli poderia até vestir a 10. Mas, mesmo se o jogador permanecer no clube – tem uma proposta do futebol chinês –, ele não deve abrir mão do número 9, o seu preferido.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave