Cartunista do 'Charlie Hebdo' chora durante coletiva em Paris

A próxima edição do "Charlie Hebdo" deve ser lançada em mais de 20 países e será traduzida para cinco línguas, incluindo árabe e turco

iG Minas Gerais | Folhapress |

O cartunista Renald Luzier, o Luz, chorou nesta terça-feira (13) durante a apresentação do novo número do jornal satírico "Charlie Hebdo", que chega às bancas nesta quarta-feira (14). "É antes de tudo um homem que chora", disse Luz ao explicar o desenho que ilustra a capa de sua autoria. Nela, o profeta Maomé aparece segurando um cartaz em que se lê "Je suis Charlie" (Eu sou Charlie), frase que se tornou símbolo após o ataque que deixou 12 mortos na sede do semanário no dia 7. Acima do desenho, está escrito "Tudo é perdoado". "É um Maomé muito mais simpático do que o empunhado pelos que abriram fogo" no ataque, explicou Gérard Biard, chefe de redação do jornal. A próxima edição do "Charlie Hebdo" deve ser lançada em mais de 20 países e será traduzida para cinco línguas, incluindo árabe e turco, disse Biard. Preparada pelos sobreviventes do ataque da semana passada, a revista será traduzida em inglês, espanhol e árabe para sua versão digital, bem como italiano e turco em sua versão de papel, informou durante coletiva em Paris. Sua tiragem será de 3 milhões de exemplares, contra 60.000 habitualmente.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave