SP tem 800 mil clientes sem energia e 156 semáforos com problemas

Temporal que atingiu a capital paulista na tarde desta segunda-feira (12) ainda causa transtornos aos paulistanos na manhã desta terça-feira (13)

iG Minas Gerais | Folhapress |

SP - ALAGAMENTO - GERAL - Alagamento na Avenida Eng. Alberto Zandottis e a Avenida das Naçoes Unidas, zona Sul de São Paulo, SP, nesta segunda-feira (12). Forte chuva atinge a Zona Sul de São Paulo na tarde desta segunda feira (12). 12/01/2015 - Foto: DOUGLAS PINGITURO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
ESTADÃO CONTEÚDO
SP - ALAGAMENTO - GERAL - Alagamento na Avenida Eng. Alberto Zandottis e a Avenida das Naçoes Unidas, zona Sul de São Paulo, SP, nesta segunda-feira (12). Forte chuva atinge a Zona Sul de São Paulo na tarde desta segunda feira (12). 12/01/2015 - Foto: DOUGLAS PINGITURO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O temporal que atingiu a capital paulista na tarde desta segunda-feira (12) ainda causa transtornos aos paulistanos na manhã desta terça-feira (13).

Cerca de 800 mil clientes da Eletropaulo estão sem energia e ao menos 156 semáforos estão com problemas em toda a cidade. Até as 18h desta segunda (12), o Centro de Controle Operacional Integrado (CCOI) registrava 58 quedas de árvores. Um dos motivos para as quedas de árvores foram os ventos fortes registrados na cidade. Os usuários da linha 11-coral da CPTM enfrentam lentidão na linha após a falha em um trem.

De acordo com o CGE, (Centro de Gerenciamento de Emergências), da Prefeitura de São Paulo, os ventos chegaram a 85 km/h, principalmente na região do aeroporto de Congonhas (zona sul), que chegou a ficar fechado por quase uma hora. Com isso, várias árvores caíram sobre postes e rede elétrica afetando o fornecimento de energia.

A Eletropaulo informou que os bairros mais afetados Brooklin, Campo Belo, Moema, Ibirapuera, Morumbi e Butantã. A companhia informou que desde a tarde de segunda, todas as equipes técnicas estão mobilizadas para restabelecer o fornecimento de energia.

Equipes da concessionária trabalham na avenida Miruna, no Ibirapuera, na avenida Escola Politécnica, no Butantã e, na avenida Rio Branco, no Bom Retiro. Em todos esses casos houve queda de árvores de grande porte sobre a rede elétrica, não só rompendo cabos, como também quebrando e derrubando postes.

A Eletropaulo informou que possuiu 1.750 circuitos, que fazem a distribuição de energia elétrica. Durante a chuva desta segunda, 96 circuitos desligaram simultaneamente. Por volta das 22h30, 46 deles já haviam sido religados.

Na segunda, a média na capital paulista foi de 34,9°C, a maior já registrada neste mês de janeiro, superando a de domingo, quando a cidade registrou 34,4°C.

As maiores temperaturas foram registradas em Cidade Ademar (zona sul) com 37,3°C e no Butantã (zona oeste) com 36,6°C. Em 2014, a maior temperatura registrada em janeiro foi no dia 30 quando a cidade atingiu 37,7°C.

Semáforos

Dos 6.138 semáforos da capital paulista, cerca de 156 estão problemas na manhã desta terça, de acordo com balanço divulgado pela CET. Destes, 134 estão apagados e 22 operam em amarelo piscante. A companhia informa que a falta de energia nos semáforos é em decorrência da forte chuva desta segunda, que ocasionou quedas de árvores na rede elétrica.

Na região central da capital paulista, árvores caíram no cruzamento da alameda Glete com a avenida Rio Branco, que permanece interditada desde a alameda Eduardo Prado atá a avenida Duque de Caxias. Na zona oeste de São Paulo, a avenida Escola Politécnica, no sentido Raposo Tavares, permanece interditada na via devido a quedas de várias árvores.

Segundo a CET, todas as equipes de manutenção estão nas ruas para fazer a manutenção nos cruzamentos. Nos locais de maior fluxo, o monitoramento é realizado manualmente por agentes. Contudo, devido a atualização de sistema, a companhia ainda não informou os demais pontos de bloqueio e quantos semáforos estão com problemas na capital paulista.

Trem e metrô

Os usuários da linha 11-coral da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) encontram problemas na linha desde as 7h40, que circula com velocidade reduzida e maior tempo de parada devido a uma falha em um trem entre as estações Brás e Luz.

Na segunda, a chuva causou transtorno para usuários da linha 12-Safira, que ficou cerca de cinco horas paralisada após raios atingirem os sistemas de sinalização e comunicação de via. O sistema Paese de ônibus de emergência foi acionado, a pedido da CPTM, no trecho entre as estações São Miguel Paulista e Guaianases. As linhas 10-turquesa e 11-coral da CPTM também chegaram a fechar, mas logo reabriram.

Todas as linhas do Metrô de SP funcionam normalmente nesta terça. Durante a chuva de segunda, a linha 3-vermelha operou com velocidade reduzida durante grande parte da noite, normalizando somente às 20h45.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave