PBH reconhece que agentes de saúde de BH ganham abaixo do piso

No nono dia de greve, categoria realiza nova assembleia para discutir se continuarão de braços cruzados, após reunião com a prefeitura

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Agentes de Combate a Endemias (ACE) e Agentes Comunitários de Saúde (ACS) se reúnem em assembleia, na manhã desta terça-feira (13), na praça da Estação, no centro da capital, para decidir pela manutenção ou não da greve, que entra em seu nono dia. Nessa segunda-feira (12), a categoria se reuniu com secretário municipal de saúde e de recursos humanos, mas o encontro terminou sem acordo.

De acordo com Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel), a prefeitura reconheceu que os ACSs recebem abaixo do piso, mas informaram que não é possível reajustar os salários sem que o repasse do Governo do Estado destinado à área também. Quanto ao plano de carreira, foi garantido que um projeto será montado em seis meses, a contar de fevereiro.

Conforme o sindicato, desde junho do ano passado foi sancionada a Lei Federal 12994/14, que estabelece um valor mínimo de R$ 1.014 mensais como vencimento base dos ACE/ACS. Atualmente o vencimento base inicial dos ACEs em Belo Horizonte está fixado em R$ 1.020,58, enquanto os ACSs da capital recebem R$ 795. 

Pode haver passeata no hipercentro da capital.

 

Leia tudo sobre: greveagentes de saúdeassembleiasaláriosplano de carreira