Dinis Pinheiro pode ir para o novo PL de Gilberto Kassab

Nova sigla já conseguiu 400 mil assinaturas para ser criada, 25 mil em Minas

iG Minas Gerais | FRANSCINY ALVES |


Dinis Pinheiro teria procurado Alexandre Silveira para filiar ao PL
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Dinis Pinheiro teria procurado Alexandre Silveira para filiar ao PL

O novo partido de Gilberto Kassab (PSD), o Partido Liberal (PL), já dá como certa a filiação de oposicionistas do governo Dilma, como Dinis Pinheiro (PP) e Thiago Cota (PPS) em Minas Gerais. A nova sigla, que existiu até 2006 – quando se fundiu com o PRONA e se tornou PR, é vista por alguns políticos como uma estratégia de Kassab para aumentar o número de deputados federais favoráveis a Dilma, já que o PL seria, logo depois, fundido com o PSD.

De acordo com um deputado mineiro ligado ao novo partido, estão se aliando ao PL, políticos insatisfeitos com suas atuais siglas, como o atual presidente da Assembleia Legislativa de Minas (ALMG), Dinis Pinheiro. “O Dinis está sem o que fazer. Foi derrotado na chapa do Pimenta da Veiga (PSDB), quando disputaram o governo do Estado. E ele não vai querer a presidência do PP para não enfrentar o Alberto Pinto Coelho. Então, ele está buscando novas alternativas”, disse.

Ainda segundo o parlamentar ligado às negociações, Dinis levaria a “família”: a irmã Ione – eleita deputada estadual –, o irmão Toninho Pinheiro – deputado federal –, e o sobrinho Pinheirinho – prefeito de Ibirité, além do deputado federal Dimas Fabiano.

Entre outros cotados, estão os deputados federais Thiago Cota (PPS) e Bilac Pinto (PR) e os deputados estaduais Fábio Tolentino (PPS) e Tony Carlos (PMDB). Embora seja o responsável pela administração do PL em Minas, Alexandre Silveira (PSD) não foi encontrado para falar sobre o assunto.

Nacional. O PL está registrado em nove Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) do país e já conseguiu 400 mil das 500 mil assinaturas necessárias para sua a criação. Em Minas, foram recolhidas 25 mil.

De acordo com o presidente nacional do PL, o goiano Cleovan Siqueira, depois do apoio de Kassab, o número de assinaturas quadruplicou. “Desde 2007 estamos buscando as assinaturas para refundar o PL. Até o ano passado tínhamos conseguido cerca de 100 mil, mas após a entrada de Kassab, alcançamos cerca de 300 mil, e agora, nós acreditamos que vamos ter garantir o restante até 15 de fevereiro”, afirma.

A criação do novo PL é necessária para que políticos eleitos possam trocar de partido sem perderem o cargo. Aliados de Kassab afirmam que ele quer atrair para a nova sigla 30 deputados federais. O governador do Amazonas José Melo (PROS) e Ricardo Coutinho (PSB), da Paraíba, já estariam confirmados.

Se a fundação do PL for concretizada, o partido terá a segunda maior bancada do Congresso, deixando para trás o PMDB, que elegeu 66 federais. O PSD terá 37 deputados na próxima Legislatura. 

Caiado chama ministro de “cafetão” São Paulo. O deputado federal e senador eleito pelo DEM Ronaldo Caiado (GO) usou a rede de microblog Twitter para atacar o ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD), pela tentativa do ex-prefeito de refundar o Partido Liberal (PL). “Kassab é o cafetão do Planalto. Agiu assim com o PSD e agora com o PL”, escreveu Caiado, lembrando a criação da atual legenda do ex-prefeito. Caiado diz ainda que o atual ministro “se especializou em transformar a política em pornografia” e acusa a presidente Dilma Rousseff de ser a responsável pela ação de Kassab.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave