Aumento terá que passar pela ALMG

Após a anuência dos colegiados, o texto precisa ser aprovado em dois turnos no plenário da Casa e ser sancionado pelo governador Fernando Pimentel

iG Minas Gerais | GUILHERME REIS |

Embora o piso nacional da educação deva ser pago a partir deste mês, em Minas a proposta de mudança, além de ser formalizada pelo Executivo estadual, ainda precisará ser aprovada pela Assembleia Legislativa. A Casa só inicia a legislatura em 2 de fevereiro.  

Além de retomar seus postos em fevereiro, a Assembleia só vai andar, de fato, quando os parlamentares negociarem os espaços nas comissões temáticas.

Definidos os colegiados, o texto deve tramitar nas comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (FFO), de Educação, Ciência e Tecnologia e de Constituição e Justiça (CCJ). Após a anuência dos colegiados, o texto precisa ser aprovado em dois turnos no plenário da Casa e ser sancionado pelo governador Fernando Pimentel.

A votação em plenário ainda vai depender da negociação entre base e oposição. Atualmente, partidos que apoiavam os tucanos negociam com o PT uma mudança de lado. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave