Comissão da ALMG quer reduzir árvores em trechos de estradas

Deputados pedem substituição das árvores do canteiro central da BR 040, por defensas (sistemas contínuos de proteção, geralmente de chapa metálica)

iG Minas Gerais | JOÃO PAULO COSTA |

Na manhã desta segunda-feira (12), relembrando um acidente ocorrido no trecho simultâneo das BRs 356/040, perto de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, à altura do km 557 da 040, no qual morreu uma família (pai, mãe e dois filhos), quando o veículo colidiu com uma árvore do canteiro central, a comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realizou uma audiência pública, para debater com especialistas e representantes de órgãos de segurança pública e de trânsito a possibilidade reduzir o número de árvores que podem motivar ou agravar acidentes nas estradas que cortam o Estado.

De acordo com o presidente da comissão, deputado João Leite, a visão da comissão é de que há, atualmente, a necessidade de estudos para levantar locais de risco, pois nem todas as árvores podem ser enquadradas nessa visão e o número de acidentes motivados por esse tipo de colisão é inferior a 1% dos casos. “Essa é uma preocupação antiga nossa. Há que se fazer um estudo de caso e o objetivo da audiência foi este. Temos que avaliar cada caso no Estado, pois as árvores podem ser plantadas em outros locais, a vida não”.

Segundo ele, muitas das medidas de segurança atualmente incorporadas ao cotidiano dos cidadãos decorrem de inovações iniciadas na Fórmula 1. “Podemos usar outra ação de segurança bem-sucedida da competição, que são as chamadas áreas de escape, trechos livres na beira das pistas com solo recoberto de argila ou brita, sem árvores ou outros obstáculos, a fim de que os automóveis possam recorrer a esse apoio em caso de derrapamento, aquaplanagem ou perda de freios, por exemplo”, sugeriu.

Requerimentos

Na reunião desta segunda foram dois requerimentos aprovados. O primeiro irá solicitar à Policia Rodoviária Federal (PRF) que realize um estudo de riscos sobre árvores nas rodovias federais que cortam o Estado, e outro foi enviado à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em um pedido de substituição das árvores do canteiro central da BR 040, por defensas (sistemas contínuos de proteção, geralmente de chapa metálica, responsáveis por conter, absorver e desacelerar os veículos durante impactos), Outro ponto do requerimento é a solicitação junto ao órgão de um estudo sobre aeficácia do sistema de drenagem de água do local.  

Leia tudo sobre: ALMG; ÁRVORES; BR-040