Mãe que matou filhas tentou negociar preço em hotel antes do crime

Funcionário do estabelecimento contou que mulher queria preços mais baixos por causa das idades da filha e porque não ficaria muito tempo no local

iG Minas Gerais | carolina caetano |

Corpos foram encontrados em motel do bairro Ribeira de Cima
Google Street View / REPRODUÇÃO
Corpos foram encontrados em motel do bairro Ribeira de Cima

Um dia antes de matar as filhas em um motel de Itabira, na região Central do Estado, a mulher de 34 anos que assassinou as crianças e se matou tentou negociar uma estadia em um hotel no centro da cidade. A informação foi confirmada por um funcionário do estabelecimento na tarde desta segunda-feira (12).

Segundo o jovem, que pediu anonimato, Ana Flávia Marques Teixeira chegou ao hotel ainda na tarde de sábado (10). “Ela contou que estava com as duas filhas, mas não vi as meninas, que ficaram no carro. Passei a nossa lista de preços e ela tentou negociar”, contou o funcionário.

De acordo com ele, a mulher desejava uma valor mais baixo pela idade das garotas, uma de 4 anos e outra de 9 meses, e pelo tempo que ficaria hospedada. “Ela disse que tinha saído de João Monlevade e precisaria de um local para ficar por pouco tempo, já que iria embora mais cedo no outro dia”, disse o homem.

Durante a conversa, Ana Flávia não demostrou nenhum comportamento anormal. “Apesar de não conhecê-la, ela estava aparentemente tranquila. Demonstrava uma pressa para conseguir o quarto, mas nada diferente de qualquer outra pessoa que chega de viagem procurando um local para dormir. Depois que passei os preços, a mulher disse que olharia outros lugares e depois retornava. Mas ontem (domingo) ficamos sabendo dessa tragédia”, explicou o recepcionista.

Ana Flávia e as filhas Maria Fernanda Marques Teixeira Batista, de 4 anos, e Anna Sofia Marques Teixeira, de 9 meses, foram encontradas na suíte de um motel do bairro Ribeira de Cima na noite desse domingo (11). As crianças estavam mortas em cima da cama, e a mãe foi encontrada enforcada e pendurada em um suporte para toalhas.

As meninas não apresentavam sinas de violência e a hipótese de envenenamento não está descartada pela polícia, uma vez que foi encontrada uma seringa sem agulha no cesto de lixo do quarto. Mãe e filhas estava sumidas desde dezembro de 2014, quando Ana Flávia ficou sabendo por intimação que havia perdido a guarda de uma das menores para o ex-marido.

Leia tudo sobre: crimeitabiramorte