Em evento de posse, Juca recebe apoio de ministros petistas

Então secretário da área na cidade de São Paulo, na gestão Fernando Haddad, Juca foi alvo de duras críticas da ex-ministra da pasta e senadora Marta Suplicy

iG Minas Gerais | Folhapress |

Antonio Cruz/DIVULGAÇÃO
undefined

Ministros de peso da Esplanada comparecem à solenidade, na manhã desta segunda-feira (12), de transmissão de cargo do novo ministro da Cultura, Juca Ferreira. Ao assumir o microfone, o novo titular da pasta agradeceu "o apoio que significa o conjunto de representação do governo". Então secretário da área na cidade de São Paulo, na gestão Fernando Haddad, Juca foi alvo de duras críticas da ex-ministra da pasta e senadora Marta Suplicy. Ele agradeceu a presença dos ministros e o apoio de artistas presentes, que entoaram "o Juca voltou", ao final do evento. "É um excelente ministro, um excelente trabalho. [Temos] uma confiança enorme num mandato inovador, aberto, valorizando a cultura brasileira. É um excelente companheiro de governo", disse Miguel Rossetto (Secretaria-geral), um dos ministros mais próximos da presidente Dilma Rousseff. Secretário-geral nacional do PT, o deputado Geraldo Magela (DF) minimizou os atritos internos. "O PT é uma metamorfose ambulante, nós estamos sempre mudando, sempre melhorando. Se for isso, não tem problema, então, não vai acabar." Ao todo, ao menos nove ministros marcam presença no evento: Aloizio Mercadante (Casa Civil), Nilma Lino Gomes (Igualdade Racial), Eleonora Meneccuci (Mulheres), Aldo Rebello (Ciência e Tecnologia, Miguel Rossetto (Secretaria-Geral), Carlos Gabas (Previdência Social), Arthur Chioro (Saúde), Tereza Campello (Desenvolvimento Social) e Vinícius Lage (Turismo). Juca também agradeceu as palmas de autoridades e representantes da cultura, que lotam teatro em Brasília onde ocorre o evento. "Tenho muito carinho por esse apoio e por isso gostaria, em primeiro lugar, de agradecer a presença de você." "Além do apoio da nossa presidenta, tenho certeza que a nova equipe econômica, ainda que desafiada a prover ajuste fiscal em nosso país, será sensível a essa necessidade", afirmou ele em evento de transmissão de cargo em Brasília. Diante de cortes no orçamento da Esplanada, o novo ministro da Cultura defendeu a manutenção de recursos para a pasta, sem os quais "não conseguiremos realizar nossos anseios". Num teatro lotado, Juca foi aplaudido diversas vezes pela plateia, e assumiu compromissos como modernizar a legislação do direito autoral, dar "transparência absoluta" às decisões do ministério por meio de um "gabinete digital" e aprimorar o sistema de financiamento da área. "A cultura brasileira não pode ficar dependente dos departamentos de marketing das grandes corporações", afirmou, sendo longamente aplaudido. "É muito bom estar de volta. E é melhor ainda fazê-lo olhando pra frente", afirmou em seu discurso, de cerca de 3 minutos. Juca prometeu uma "diplomacia cultural" e se emocionou ao lembrar da influência da cultura africana no Brasil. "O Minc volta a ser espaço de experimentação do mundo. O Minc está de volta ao futuro", concluiu.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave