Companheira de jihadista francês entrou na Síria em 8 de janeiro

Hayat Boumeddiene, a companheira do jihadista morto na sexta-feira (9) em Paris, entrou no país sírio a partir da Turquia, de acordo com ministro turco

iG Minas Gerais | AFP |

 Hayat Boumeddiene é suspeita de ser cúmplice em atentado a mercado judeu nesta sexta (9), onde seis pessoas são mantidas a reféns
FRENCH POLICE / AFP
Hayat Boumeddiene é suspeita de ser cúmplice em atentado a mercado judeu nesta sexta (9), onde seis pessoas são mantidas a reféns

Hayat Boumeddiene, a companheira do jihadista morto na sexta-feira (9) em Paris após uma tomada de reféns, entrou na Síria no dia 8 de janeiro a partir da Turquia, confirmou nesta segunda-feira (12) o ministro turco das Relações Exteriores, Mevlüt Cavusoglu.

"Entrou na Síria no dia 8 de janeiro", declarou Cavusoglu em uma entrevista à agência de notícias oficial Anatolia.

Uma fonte da segurança turca indicou à AFP no sábado que a companheira de Amedy Coulibaly, abatido pela unidade de elite da polícia após uma tomada de reféns em um mercado judeu de Paris, entrou na Turquia no dia 2 de janeiro, e que provavelmente viajou dali à Síria.

"Entrou na Turquia no dia 2 de janeiro, procedente de Madri. Há imagens (dela no aeroporto)", confirmou o chanceler turco.

"Esteve com uma pessoa em um hotel de Kadikoy (um bairro da margem asiática de Istambul). Depois passou à Síria em 8 de janeiro, segundo suas comunicações telefônicas", acrescentou.

A polícia francesa emitiu uma ordem de busca para determinar seu eventual papel no tiroteio realizado por Amedy Coulibaly em Montrouge, na periferia de Paris, na quinta-feira, 8 de janeiro, onde ele matou uma policial.

A polícia francesa também quer investigar se ela prestou alguma ajuda para a tomada de reféns em um mercado judeu em Porte de Vincennes, que deixou quatro mortos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave