Acúmulo de ácido úrico no corpo gera dores e cálculo renal

Médica alerta para o aumento de casos no verão, devido aos hábitos no calor

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

Mudança. Gustavo teve que passar de uma dieta carnívora para uma vegetariana depois de uma crise aguda de gota
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Mudança. Gustavo teve que passar de uma dieta carnívora para uma vegetariana depois de uma crise aguda de gota

O fotógrafo Gustavo Black, 33, ama carne. Gosta tanto que, junto com amigos, fundou o BH Bacon Club – uma espécie de confraria em que eles se reuniam para churrascos e eventos com, claro, muita carne.

Os hábitos dele só mudaram quando, em 2012, ele descobriu que tem gota – acúmulo de ácido úrico nas articulações. Depois de um farto churrasco, ele começou a sentir uma forte dor no dedão do pé, que também estava muito inchado. “Fui ao médico e, só de olhar, ele já disse que era gota”, conta. A partir daí, a rotina de Gustavo mudou drasticamente. “Passei para uma dieta vegetariana. No início, foi muito difícil, mas, depois de uma fase de ‘desintoxicação’, eu me acostumei”, diz. Agora, ele tem uma dieta balanceada e nunca mais teve crises.

O acúmulo de ácido úrico nas articulações é fruto de dois fatores. “O organismo produz mais ou excreta menos pelos rins. Sabemos que 90% do aumento vem dessa disfunção e 10% vem da alimentação. Mas esses 10% podem fazer toda a diferença entre ter ou não uma crise”, explica a doutora em reumatologia Evelin Goldenberg, do hospital Albert Einstein, de São Paulo.

Entre os principais alimentos que aumentam o acúmulo de ácido úrico estão os frutos do mar, as carnes vermelhas, os feijões e as lentilhas, além de bebidas alcoólicas – principalmente a cerveja.

Evelin alerta para um aumento dos casos de gota agora nesta época de verão. “No calor, o pessoal gosta muito de ir para a praia, pedir um camarão frito e tomar uma cerveja”, diz.

Sintomas. O primeiro sintoma da gota costuma ser uma forte dor, geralmente no dedão do pé. Se não tratada, ela pode atingir outras articulações. Quando o ácido úrico se deposita nos rins, causa cálculos e, sob a pele, dá os chamados “tofos” – cristais debaixo da pele. Junto com o colesterol alto e a hipertensão, o acúmulo de ácido úrico é um fator de risco para a doença cardíaca.

O tratamento é feito com dois tipos de medicamentos: anti-inflamatórios, para tirar o paciente da crise, e remédios que controlam o nível de ácido úrico no organismo, para evitar novas crises. Há medicamentos que inibem a formação do ácido úrico e outros que aumentam sua liberação renal.

Em novembro de 2014, uma novidade surgiu no tratamento da doença. “Foi apresentado um novo medicamento à base de pegloticase, que quebra o ácido úrico. Muda o tratamento dos pacientes que não respondem aos outros medicamentos”, explica a médica. O remédio ainda não chegou ao Brasil.

Flash

Homens. A gota é uma doença prioritariamente masculina adulta: 95% dos casos ocorrem em homens com idade entre 30 e 50 anos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave