Carreira de vários encontros

Humorista ressalta que tem liberdade de criação no programa e que, por isso, pensa em ter seu próprio programa

iG Minas Gerais | anna bittencourt |

Embrionário. Veras adianta que escreveu um projeto de talk-show para levar ao ar na TV paga, em parceria com a Globo
Isabel Almeida/czn
Embrionário. Veras adianta que escreveu um projeto de talk-show para levar ao ar na TV paga, em parceria com a Globo

Marcos Veras é um sujeito inquieto. Não que ele seja exatamente uma pessoa agitada. Mas o coapresentador do “Encontro com Fátima Bernardes” fica satisfeito na medida em que acumula projetos na TV, no teatro e no cinema. Além de continuar ao lado de Fátima Bernardes e Lair Renó – ele participa diariamente do programa e ainda é redator do “Encontro” –, Veras vai atuar em “Babilônia”, novela que substitui “Império” no horário das nove a partir de março. E, fora da TV, se prepara para estrear dois longas, participar de um terceiro e lançar seu próprio projeto no cinema. Tanta exposição, no entanto, não chega a assustar. “O medo acompanha o ator sempre. Mas são trabalhos completamente diferentes e essa pluralidade é o que motiva minha carreira. Nem que, para isso, eu precise morar no Projac”, brinca. Natural do Rio de Janeiro, Veras garante que sempre foi o gaiato da turma. “Imitava os professores e todo mundo morria de rir”, relembra. Mas, segundo ele, isso não quer dizer que seja engraçado 24 horas por dia. “Tem gente que é, tipo o Paulo Gustavo. Eu, não. Sou bem normal. Se o cara é meu fã e pede para contar uma piada, não conto. Vou perder o fã na hora”, ri. Apesar disso, assim que acabou o Ensino Médio, procurou um curso livre de teatro. “Foi aí que descobri que era o que eu queria fazer. E me matriculei em um curso profissionalizante”, conta. Mesmo sabendo do desejo de seguir atuando, se formou em publicidade. “Queria ter o diploma de terceiro grau porque, se fosse preso, teria cela especial”. O “Encontro” já passou por diversas reformulações desde a estreia, há quase três anos. No entanto, seu espaço ficou garantido. A que você credita isso? Costumo dizer que minha entrada no programa foi uma coincidência de energia. Soube que ia ter o programa e, em um chope com alguns roteiristas, disse que queria participar, que achava que tinha espaço para mim e para o humor. E soube que a Fátima Bernardes já tinha pensado em mim. Acredito que isso seja um diferencial. Temos ideias parecidas, entrei também como redator do “Encontro”. Programa diário é muito difícil, tem de se reinventar todo dia. E como é feito esse processo? Temos uma rotina. O programa é ao vivo e acaba ao meio dia. Almoçamos e temos reunião em seguida. Todos os dias. Ali surgem pautas novas, melhoramos as que já existiam. Somos vários redatores, várias cabeças pensantes em toda a equipe. É fácil ter ideias ali. Algumas dão certo, outras, não. E assim fomos construindo o programa ao longo desses anos. Parece que você tem muita liberdade de criação...  Tenho uma autonomia muito grande, sim. Na parte de humor, trabalho diretamente com o Saulo Aride. Ele é minha dupla. Escrevemos juntos. E temos muita sorte da Fátima confiar muito na gente. Porque grande parte do que aprontamos no programa, ela não sabe. Como assim? Mesmo se ela fosse a melhor atriz do mundo, não é a mesma coisa de ser pega de surpresa. E no humor tem de ter isso. As reações seriam completamente diferentes se ela soubesse. Por exemplo, quando eu a imitei pela primeira vez, ela achava que meu voo estava atrasado e que eu não chegaria a tempo de estar no programa (risos). Tanta liberdade no palco e no roteiro não dá vontade de você ter seu próprio programa? Com certeza! Apesar de estar muito feliz onde estou, tenho vontade de ter um programa meu. Inclusive, já escrevi um projeto de um talk-show que entreguei na mão do (diretor) Boninho. Mas é um projeto muito embrionário. A ideia inicial era que fosse para a TV a cabo, mas em parceria com a Globo. Até porque a grade é grande, mas eu já estou no “Encontro”, vou fazer “Babilônia”... Daqui a pouco, estou em cinco programas ao mesmo tempo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave