Pausa no humor

Depois de papéis cômicos, Fabiula Nascimento se aprofunda no caráter duvidoso de Cristina, em “Boogie Oogie”

iG Minas Gerais | luana borges |

Distinção. Fabiula conta que personalidade de Cristina é completamente diferente da sua, alegre e despretensiosa
Jorge Rodrigues Jorge/CZN
Distinção. Fabiula conta que personalidade de Cristina é completamente diferente da sua, alegre e despretensiosa

A espontaneidade é uma característica marcante em Fabiula Nascimento. Aos 36 anos – 20 só de profissão –, a atriz curitibana fala o que pensa sem cerimônia e com bom humor. E é com esse mesmo jeito despretensioso que ela lida com a rotina que envolve uma novela. Alheia a qualquer deslumbramento com a fama, a intérprete da amargurada Cristina de “Boogie Oogie” gosta de se aprofundar nas personagens que interpreta e, acima de tudo, se divertir em cena. “Dou 100 % de mim sempre, mas não me cobro porque é entretenimento. A gente está em busca de divertir o público e eu escolhi ser atriz porque me divirto e brinco o tempo inteiro”, ressalta.

Mas, para viver Cristina na trama das seis, Fabiula precisou construir uma personalidade bem distante da sua. Afinal, a personagem é uma mulher frustrada e ambiciosa. Porém, não chega a ser uma vilã, na opinião da atriz. “Acho que ela é uma ignorante. O que pensa é o certo, mas é uma pessoa totalmente equivocada”, avalia. Inspiração não faltou para Fabiula, que tem o hábito de observar o comportamento das pessoas e guardar o máximo de referências de tudo o que vê para usar em algum papel futuro. “Está cheio de gente assim por aí”, constata. A caracterização também é parte fundamental desse processo. Ambientada no fim dos anos 70, “Boogie Oogie” é marcada por figurinos coloridos. Os de Cristina não são dos extravagantes, mas ainda assim ajudam a atriz a entender melhor a personagem. “Sempre faço a prova de figurino e depois eu ligo uma coisa na outra”, conta.

Fabiula sente nas ruas o resultado dessa composição. Volta e meia, é abordada por pessoas que dizem detestar Cristina, apesar de admirarem a atriz. “Adoro que as pessoas a odeiem. A minha esperança era essa, que acreditassem nessa mulher, que Cristina fosse real, o que é sempre uma briga com meus papéis”, assume ela, que viveu tipos mais caricatos nos últimos trabalhos na televisão, como a Matilde de “Joia Rara” e a Olenka de “Avenida Brasil”. “Por mais que sejam personagens expansivas, quero que o conteúdo delas seja de verdade”, explica.

Depois de alguns papéis leves e com uma pegada cômica, Fabiula se animou justamente com a oportunidade de encarnar um tipo menos palatável como Cristina. Apesar de nunca ter tido receio de ficar marcada pelo humor, ela, que também integrou o elenco de “Junto & Misturado”, busca a versatilidade na carreira. “Sempre aceitei os papéis mais distintos e diferentes de mim porque adoro construir e desconstruir essas pessoas”, ressalta. O que a ajuda a se reinventar em cena com mais facilidade é a experiência que teve, durante muito tempo, com teatro infantil. Afinal, o perfil de personagem variava com frequência. “Um dia você é o leão, no outro é a planta, a boneca, a flor... O teatro para criança me deu oportunidade de ser o que eu quisesse a qualquer momento. Resolvi fazer disso uma ferramenta para sempre”, diz.

Perfil Nome completo:

Fabiula Nascimento

Data de nascimento:

18 de agosto de 1978

Local de nascimento:

Curitiba (PR)

Signo: Leão

Últimos papéis na TV:

Matilde de “Joia Rara” (2013), Marina de Ogum de “O Canto da Sereia” (2013), Olenka de “Avenida Brasil” (2012), Samantha de “Tapas & Beijos” (2011), Matilde de Lutiis de “Por Toda Minha Vida” (2010), Jaqueline de “Força Tarefa (2009-2011), Fátima de “A Grande Família” (2009)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave