Família do jihadista Amedy Coulibaly 'condena' atentados na França

Mãe e irmãs de jihadista apresentaram suas "sinceras condolências" às famílias das vítimas, em nota enviada à AFP

iG Minas Gerais | AFP |

Coulibaly foi o terrorista que sequestrou em mercado judeu
FRENCH POLICE / AFP
Coulibaly foi o terrorista que sequestrou em mercado judeu

A mãe e as irmãs do "jihadista" francês Amedy Coulibaly "condenaram" os atentados cometidos em Paris nos últimos dias e apresentaram suas "sinceras condolências" às famílias das vítimas, em nota enviada à AFP neste sábado.

"Eu, a mãe de Amedy Coulibaly, e todas minhas filhas apresentamos nossas sinceras condolências às famílias das vítimas da loja Hyper Cacher, à família da policial (guarda) municipal de Montrouge, assim como às vítimas do Charlie Hebdo", afirma a nota.

"Condenamos esses atos. Não compartilhamos, de modo algum, essas ideias extremas. Esperamos que não haja analogia entre esses atos odiosos e a religião muçulmana", declararam.

"Desejamos, finalmente, que todos os cidadãos fiquem unidos e sejam solidários, como somos com as famílias das vítimas", concluíram.

Na sexta-feira, em conversa com um jornalista da AFP, as três irmãs de Amedy Coulibaly não o descreveram como um radical, mas como um moderado. Nenhuma delas, aliás, usava o tradicional véu.

"Ele não é assim", garantiu uma delas, que o apresentou como moderado.

"Sei que ele fazia a reza, o Ramadã e um pouco mais", disse a outra.

"Ele passou a vida na prisão, e eu, trabalhando", comentou a terceira irmã.