Peças para instruir e divertir

Estreiam hoje variadas opções de espetáculos infantis dentro da programação da Campanha de Popularização

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

Fantasia. 
“Pluft, O Fantasminha” é uma montagem mineira do clássico de Maria Clara Machado
Guto Muniz
Fantasia. “Pluft, O Fantasminha” é uma montagem mineira do clássico de Maria Clara Machado

Já há algum tempo a Campanha de Popularização do Teatro e da Dança chama atenção pela grande quantidade de peças, incluindo aí espetáculos voltados para crianças e para o público infantojuvenil. Dentro desse eixo, estreiam hoje algumas que, por meio da fantasia, preocupam-se com a formação e, claro, com a diversão dos pequenos.

“A Menina que Entra em Livros”, por exemplo, resume bem os predicados citados acima. A montagem, que entra em cartaz hoje no Teatro Bradesco, conta a história de Júlia, uma garotinha muito esperta que entra em pânico ao descobrir que terá que dividir seu quarto com o novo irmãozinho. “Desde o início, nossa ideia era falar sobre algo moderno. Hoje em dia é comum que casais tenham apenas um filho, e, quando isso não acontece, é normal que as crianças mais velhas se assustem”, conta o produtor da peça, Marcelo Carrusca.

Diante do aterrorizante acontecimento, a protagonista mirim passa a dormir na biblioteca da casa – e é lá que toda a magia acontece. “Ali ela vai conhecer vários personagens que a ajudam a entrar no mundo da literatura. Ao encontrar o Índice, por exemplo, ela não o reconhece e, depois de descobrir sua função, afirma que, para pesquisar, utiliza apenas o Google. Em seguida, ela se encontra com a Traça, a Poetisa, e aos poucos o mundo dela vai se abrindo”, adianta.

Todas essas personagens foram criadas por Livia Gaudêncio e dialogam com recursos técnicos que potencializam a experiência sensorial dos espectadores. “Utilizamos um palco giratório que vai mudando a cada novo lugar que a menina entra. Além disso, contamos com recursos relacionados ao teatro de sombras”, diz Carrusca. “Essa é uma forma de estimular a leitura, principalmente a poesia, numa época em que as duas andam um pouco de lado”.

Adaptações. Outras duas peças que estreiam hoje são montagens mineiras inspiradas em clássicos do teatro.

Escrita por Sérgio Bardotti e Luis Enrique e adaptada por Chico Buarque, o musical “Os Saltimbancos” conta com direção de Raimundo Farinelli. “A peça continua a gerar interesse em diferentes gerações de crianças porque as músicas são muito belas, e a história é absorvida por elas independentemente da idade”, justifica o diretor.

Em cartaz no Sesiminas, o espetáculo mostra a jornada de um jumento (o narrador da história), um cachorro, uma galinha e uma gata que vão para cidade em busca do sonho de se tornarem músicos famosos.

“Pluft, o Fantasminha”, por sua vez, foi criado por Maria Clara Machado em 1955 e ganhou uma roupagem mais colorida pelas mãos do diretor Diego Benicá. Na trama, a família do personagem principal vivia em um sótão tranquilamente até a chegada do marinheiro Perna-de-pau, que traz consigo a menina Maribel, com quem Pluft começa uma bela amizade.

“Em 1999, fiz uma pequena montagem da peça em Resplendor, no interior de Minas. Minha ideia sempre doi remontá-la, mas extraindo seu lado mais sombrio e deixando-a mais divertida, mais lúdica. Quando a companhia topou fazer, acabei resgatando essa proposta”, conta.

O resultado, destaca, foi o reconhecimento de público e crítica. Em 2013, a peça foi apontada como o melhor espetáculo infantil de Minas Gerais pelo prêmio Usiminas Sinparc. “Acho que foi um tiro bem certeiro, principalmente porque vejo pais trazendo as crianças mais de uma vez. Tem gente que já viu a peça seis vezes”, afirma.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave