“Meu filho quase morreu”

Andréa Castanon Mãe de Jarod Marcelino

iG Minas Gerais | Aline Diniz / Luiza Muzzi |

O seu filho foi diagnosticado com febre maculosa?  

O exame deu negativo, mas é a febre maculosa. Eles (a prefeitura) estão tentando esconder. Ele vai repetir o exame no dia 18. Como surgiu a suspeita de que ele tenha contraído a doença?

Na segunda-feira da semana do réveillon, nós demos uma volta na orla da lagoa da Pampulha, fizemos uma caminhada perto do (clube) Iate. Na quarta-feira, meu filho começou a reclamar de muita dor de cabeça, e apareceram manchas no corpo dele. Achei que era alergia, mas na quinta-feira ele já não levantou mais da cama. Começou a ter muita dor na nuca, febre muito alta e foi só piorando. Foi quando eu vi que era realmente grave. O que os médicos disseram?

No primeiro dia, suspeitaram de meningite, mas o exame mostrou que não era. No sábado a médica veio conversar comigo e perguntou onde a gente morava. Quando falei que era na Pampulha, mandaram fazer um exame urgente de febre maculosa e começaram a dar a medicação própria. Meu filho quase morreu. Por isso a família acredita que ele realmente teve a febre maculosa?

Os médicos falaram comigo que, mesmo se o resultado do exame desse negativo, fariam um laudo atestando o diagnóstico de febre maculosa. Eu acho que a prefeitura está tentando abafar o caso, e isso é um absurdo. Quero que tomem alguma providência para que isso não aconteça mais.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave