BMW atualiza a R1200 R

Modelo alemão agora conta com a nova geração do tradicional motor boxer e mais tecnologia

iG Minas Gerais | Raphael Panaro e Andrea Russo |

BMW R 1200 R
bmw/divulgação
BMW R 1200 R

A história da BMW Motorrad se confunde com a do clássico motor boxer de dois cilindros opostos. E um dos mais recentes modelos a recebê-lo é a nova R1200 R. Além do propulsor, a esportiva revelada no último Salão de Colônia, na Alemanha, mostrou um visual renovado e alterações no quadro, suspensão e também novos recursos.

A configuração atual do motor tem 1.170 cm³ e refrigeração mista líquida/ar. O propulsor está presente na R1200 GS, R1200 RT, R1200 RS e também na R NineT. Ele tem em 125 cv a 7.750 rpm e 12,7 kgfm de torque a 6.500 giros – ante 110 cv e 12,1 kgfm anteriormente. A BMW ainda afirma que, além do aumento, a entrega do torque se dá de forma mais linear pela faixa de giros. As mudanças deixam a R1200 R com boas credenciais. Para chegar aos 100 km/h, a naked só precisa de 3,3 s. Quanto à velocidade máxima, a marca alemã não crava, apenas se limita a dizer que ultrapassa os 200 km/h.

A BMW também mexeu na ciclística da moto. O motor boxer é montado em um novo quadro tubular de aço. O sistema de escapamento agora é dois em um, além de novas entradas de ar e radiador centralizado. Lá também não está a suspensão dianteira monoamortecida Telelever. O renovado modelo ganhou garfos telescópicos invertidos e ajustáveis com curso de 140 mm. Na traseira, a também monochoque Evo Paralever continua. De série, há ainda dois modos de condução – Rain e Road –, que modificam o comportamento dos freios ABS e controle de estabilidade. O repertório técnico da R1200 R ainda pode contar com mais dois ajustes extras de pilotagem – Dynamic e User –, que mudam o nível de intromissão do controle de tração.

Impressões

Um dos primeiros itens que chama atenção na nova BMW R1200 R é a posição de condução. Ela é inclinada à frente, e as pernas do piloto parecem se incorporar ao design do tanque. Dinamicamente, a R1200 R brilha. Ela entra na curva com desenvoltura, é ágil e tem um equilíbrio perfeito. Obedece humildemente às ordens dadas por quem vai em cima. Outro responsável pelo bom apoio nas curvas é o pneu sem câmara Metzler Z8. Já a suspensão dianteira garante uma pilotagem de alta precisão, e o novo chassi, somado ao baixo peso e à força em baixos giros, faz da R1200 R um modelo fácil de conduzir.

A parte dianteira é sólida, nunca dá a incerteza de seguir outra direção. Em alta velocidade, a moto corta o vento e parece abrir caminho. A suspensão filtra admiravelmente as imperfeições na estrada, mas também deixa o piloto sempre consciente do que flui sob as rodas. Com o novo motor já é possível extrair o máximo da moto. Mas a aceleração nas saídas de curva estão notavelmente mais nervosas.

Leia tudo sobre: BMWmotomotor boxercilindros opostosR1200 Rimpressões