Ato contra aumento de tarifas tem depredação e bombas de efeito moral

"Black blocs" se juntaram aos manifestantes ainda no início da manifestação e durante o percurso pessoas também jogaram lixo no chão e jogaram pedras contra lojas

iG Minas Gerais | Folhapress |

Um protesto contra o aumento das tarifas de ônibus, metrô e trem terminou em tumulto na noite desta sexta-feira (9) em São Paulo. Um grupo de pessoas depredou lojas e a Polícia Militar usou bombas de efeito moral e balas de borracha.

Segundo a Polícia Militar, 32 pessoas foram detidas durante o protesto desta sexta. Elas serão encaminhadas ao 78° DP, nos Jardins.

O ato, que reúne em torno de 2 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, começou de forma pacífica na frente do Theatro Municipal, na região central de São Paulo, e seguiu assim até a rua da Consolação. No local, uma agência bancária e uma concessionária tiveram vidros quebrados.

"Black blocs" se juntaram aos manifestantes ainda no início do ato e durante o percurso pessoas também jogaram lixo no chão e jogaram pedras contra lojas.

A entrada das estações Consolação e Trianon-Masp da linha 2-verde do metrô foram fechadas, mas funcionam normalmente.

As passagens estão mais caras desde terça-feira (6), quando passaram de R$ 3 para R$ 3,50. O valor não subia desde 2011 nos ônibus e desde 2012 no caso dos trens e metrô.

Cerca de 120 policiais militares acompanham o ato. Apesar da confusão, o ato desta sexta-feira foi bem menor do que os protestos de 2013, quando uma série de manifestações fez com que os governos estadual e municipal recuassem e desistissem de reajustar os valores.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave