Tombo de bancos e elétricas ofusca ganho da Petrobras, e Bolsa cai 2%

A forte queda das ações de bancos e do setor elétrico ampliou ainda mais a perda do Ibovespa, que encerrou o pregão em baixa de 2,21%

iG Minas Gerais | Folhapress |

Petróleo cru é o principal item comercializado entre Brasil e Chile
Petróleo cru é o principal item comercializado entre Brasil e Chile

O principal índice da Bolsa brasileira fechou esta sexta-feira (9) no vermelho, acompanhando o mau humor dos mercados internacionais, que repercutiram a piora no nível dos salários no mercado de trabalho americano em dezembro, apesar a criação de vagas ter superado as expectativas de analistas. A forte queda das ações de bancos e do setor elétrico ampliou ainda mais a perda do Ibovespa, que encerrou o pregão em baixa de 2,21%, para 48.840 pontos. O volume financeiro foi de R$ 5,209 bilhões. Mesmo com desempenho negativo no dia, o índice acumulou ganho de 0,68% na semana. "O Ibovespa subiu 5,1% nos últimos três dias. Por isso, os investidores também aproveitaram para vender papéis e colocar dinheiro no bolso. Em nenhum momento desde novembro o Ibovespa conseguiu fazer mais que três dias seguidos de alta. O investidor entendeu que era hora de realizar lucros", disse Alexandre Wolwacz, diretor da Escola de Investimentos Leandro & Stormer. O setor bancário, segmento com maior peso dentro do Ibovespa, teve queda. Na última quinta-feira (8), a agência de classificação de risco Fitch Ratings avaliou em relatório que os bancos podem ter que aumentar suas provisões para empréstimos a companhias envolvidas na Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, o que poderia prejudicar seus lucros. Reportagem publicada pelo jornal "Valor Econômico" nesta sexta-feira mostrou que cinco grandes bancos (Bradesco, Itaú Unibanco, Santander, Banco do Brasil e HSBC) terão que explicar por que comunicaram apenas parte das operações financeiras suspeitas na investigação da Lava-Jato às autoridades. "É um novo setor que pode ser prejudicado pelas denúncias da Lava-Jato. Há um risco de que essa operação da PF em andamento ainda afete negativamente outros setores, o que amplia o sentimento de aversão ao risco entre os investidores", afirmou Wolwacz. As ações do Itaú perderam 4,37%, para R$ 34,77. O papel preferencial do Bradesco, sem direito a voto, recuou 4,34%, para R$ 35,47. Já o Banco do Brasil cedeu 4,33%, para R$ 22,54. O Santander Brasil teve baixa de 3,03%, para R$ 12,80, também afetado pela queda de mais de 14% de seu controlador espanhol, na Bolsa de Madri, após o Santander Espanha ter anunciado aumento de capital e corte em dividendos (parte do lucro distribuída aos acionistas).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave