Boko Haram já matou 2.000 em cidade na Nigéria, diz Anistia

A maioria das vítimas é composta por crianças, mulheres e idosos, que não conseguiram fugir dos ataques em Baga, noroeste do país

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Esperança.
 Mais de 200 estudantes sequestradas em abril pelo grupo Boko Haram podem ser libertadas, segundo o governo nigeriano
AP Photo
Esperança. Mais de 200 estudantes sequestradas em abril pelo grupo Boko Haram podem ser libertadas, segundo o governo nigeriano

No "massacre mais mortal" de sua história, o grupo radical islâmico Boko Haram já matou cerca de 2.000 mil pessoas em Baga, no noroeste da Nigéria, informou a Anistia Internacional, com base em relatos, nesta sexta-feira (9).

A local é alvo de ataques desde que as forças de segurança localizadas em uma base do Exército nas redondezas fugiram após uma ofensiva feita pelo grupo no sábado (3).

Nesta quarta (7), os extremistas atearam fogo a estabelecimentos comerciais e se aproveitaram da ausência do exército para atacar aldeias vizinhas.

O porta-voz do governo Mike Omeri disse que os combates continuam nesta sexta.

Um representante dos civis afirmou à Associated Press que a maioria das vítimas é composta por crianças, mulheres e idosos, que não puderam correr rápido o suficiente durante ataques com granadas e fuzis na cidade.

O Boko Haram ( "a educação ocidental é proibida", em português) luta para refundar um califado islâmico na Nigéria.

Desde 2009, a violência do grupo e sua repressão pelas forças de segurança fizeram 13 mil mortos e mais de um milhão de deslocados.

Leia tudo sobre: boko haramnigeriagrupo radical islamicoanistiaassassinatos