Cuba libertou ao menos 36 presos políticos, segundo ativistas

O grupo União Patriótica de Cuba (Unpacu) disse em comunicado que 29 de seus membros estavam entre os 36 libertados

iG Minas Gerais | Folhapress |

AFP
undefined

Dissidentes cubanos informaram nesta sexta (9) que mais ativistas presos foram libertados pelo governo, o que elevou para 36 o número de pessoas soltas desde quarta-feira. O grupo União Patriótica de Cuba (Unpacu) disse em comunicado que 29 de seus membros estavam entre os 36 libertados. Eles foram soltos sob a condição de se apresentarem regularmente às autoridades e avisados de que podem voltar à prisão se participarem de atos contra o governo. "Nossos prisioneiros libertados estão comprometidos a continuar lutando pela Cuba democrática que todos nós queremos", afirmou José Ferrer, líder da Unpacu, em um comunicado. "Os ativistas saíram da prisão com mais energia, força e motivação do que tinham quando foram presos", prosseguiu Ferrer. Cuba se comprometeu a libertar 53 prisioneiros, como parte do acordo de reaproximação com os Estados Unidos anunciado no mês passado. Quase todas as pessoas libertadas constavam de uma lista informal de presos políticos criada por dissidentes, mas não há informações se todos eles estão na lista de 53 nomes negociadas entre EUA e Cuba. "Os Estados Unidos saúdam a substancial e contínua libertação de presos em Cuba. É bom ver as pessoas reencontrarem suas famílias", disse Ben Rhodes, integrante do setor de comunicação da Casa Branca, em seu Twitter. O governo de Havana não se pronunciou sobre a libertação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave