Carro fica retorcido em acidente com trem e dois se ferem levemente

Tio e sobrinha sofreram apenas ferimentos leves apesar do carro ter ficado irreconhecível

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

É difícil reconhecer o Volkswagen Golf após o impacto
Júnior Mendonça / Jornal Gazeta Norte Mineira
É difícil reconhecer o Volkswagen Golf após o impacto

Praticamente um milagre. Foi assim que militares do Corpo de Bombeiros descreveram o acidente em que duas pessoas sobreviveram apenas com ferimentos leves após o carro em que estavam ser atingido por um trem e ficar irreconhecível de tão destruído, em Montes Claros, no Norte do Estado.

De acordo com o 7º Batalhão da corporação, a batida aconteceu por volta das 18h20 na avenida Magalhães Pinto, no cruzamento com a linha férrea da Ferrovia Centro Atlântica (FCA). O trem transportava combustível inflamável e, felizmente, não houve vazamento nem explosão após o impacto.

O motorista do Volskwagen Golf com placa de Francisco Morato (SP), Oscar Cardoso de Jesus, contou que no momento em que ia passar pela passagem de nível ele não conseguiu avistar o guarda que sinalizava para os motoristas pararem. Após ser alertado pela sobrinha, o homem tentou colocar a ré e acabou se atrapalhando e deixando o carro morrer.

Foi então que o veículo foi atingido na lateral e arrastado por cerca de 10 metros. Devido ao estado do carro, foi difícil acreditar que nenhum dos passageiros tenham sofrido ferimentos mais graves. Eles foram atendidos pelos bombeiros no local e encaminhados à Santa Casa de Montes Claros ainda em estado de choque.

Nota

A FCA divulgou uma nota em que informava que maquinista do trem executou todos os procedimentos recomendados durante a passagem pelo trecho de área urbana, como reduzir a velocidade e acionar a buzina e os faróis da locomotiva para alertar sobre a aproximação da composição.

"Além disso, um vigilante da empresa estava no cruzamento, no momento da ocorrência, indicando a parada obrigatória aos motoristas. A FCA ressalta que a passagem de nível é sinalizada com placas que alertam motoristas e pedestres sobre a circulação de trens", dizia o texto divulgado.

A nota ainda esclarece que, em passagens de nível, o Código de Trânsito Brasileiro diz que que os veículos de trilho tem preferência sobre qualquer veículo. "Ao avistar o carro na linha férrea, o maquinista acionou os freios de emergência, mas não houve tempo hábil para parar. Devido ao seu peso, após acionamento dos freios, um trem pode percorrer até um quilômetro antes de parar completamente", detalha a empresa.

Por fim, a FCA aproveitou para informar que mantém campanhas constantes ao longo do ano com o objetivo de orientar comunidades sobre a importância de manter um comportamento seguro em relação aos trilhos.