Bate debate 9/1/2015

iG Minas Gerais |

Vida que segue Quintino Carvalho   Radialista 

Temas velhos, assuntos repetidos. Nos jornais as páginas estão cheias de sangue. O assunto “Petrobras” apresenta novidades todos os dias. No Planalto, novo mandato da presidente e popularidade em baixa. As cobranças continuam. Os novos ministros se desentendem em rede nacional. No plano municipal, o ano de 2015 se apresenta contaminado pelos fatos da política nacional e nos remete imediatamente aos assuntos eleitorais de 2016, um assunto antecipado pelo presidente municipal do PT, vereador José de Souza, e pelo secretário Rodrigo Cupin.

Costuraram um acordo de governança que previa 3 secretarias nas mãos do PT de Zé de Souza. A contrapartida prevista seria o cargo de vice-prefeito para o Partido dos Trabalhadores na chapa de reeleição do prefeito Carlin Moura, em 2 de outubro de 2016. O assunto durou apenas algumas horas. Imediatamente os deputados Durval Ângelo e a eleita Marília Campos convocaram um encontro público com o vereador, patrocinador da ideia, para dizer que não concordavam com os termos anunciados no acordo em gestação.

Tal articulação parece ter sido sepultada no encontro dos deputados com o vereador, e a ele foi dito, segundo um petista que participou do encontro, que estaria sozinho na empreitada. Certo é que Carlin Moura, apesar de muito “disse me disse” nas ruas sobre sua administração, está caminhando sem sombra, ainda! Marília Campos, a deputada estadual mais votada na história da cidade, já manifestou ter interesse em cumprir seu mandato por inteiro. Mas uma representante do partido do governador do Estado, com um caminhão de votos conquistados no município, não pode ser descartada simplesmente. Ela tem a chave da “discórdia” nas mãos. Newton Cardoso Jr., federal majoritário em Contagem, já manifestou, por meio de pessoas próximas, que tem compromissos com muitos prefeitos no Estado e não teria condições de viabilizar uma candidatura no ano que vem.

Outras figuras bem avaliadas em Contagem foram lembradas em recente pesquisa postada nas redes sociais. Ricardo Faria, deputado estadual, tem compromisso com Carlin Moura. Vereador Arnaldo de Oliveira, outra grande liderança, não se mostra animado. Vereador Irineu Inácio, instado sobre o assunto, já que também tem um projeto vitorioso, se disse preparado para qualquer missão em Contagem, mas afirmou que uma campanha competitiva demanda recursos, e isso é um complicador. Outra liderança muito bem avaliada na cidade é o Vereador William Barreiro. Que disputou a última eleição para deputado estadual pelo PTdoB e saiu de Contagem com uma bela votação. Cabe ao partido dizer a seu filiado ilustre o que pretende para o futuro, que a Deus pertence!

Certo é que as lideranças que representam Contagem precisam discutir, de forma responsável, o futuro da cidade.

IPTU de graça: a cidade pode continuar a abrir mão de tamanho volume de recursos? Uma invenção de Ademir Lucas, nos idos de 1988, não pode mais ser plataforma séria de campanha. Contagem não pode mais abrir mão do IPTU, que é o condomínio dos municípios e, portanto, um tributo justo e necessário.

Nossa cidade precisa de propostas sérias para o futuro. A maternidade que está sendo terminada a passos de tartaruga não é obra de uma só administração e não caberá em nenhuma paternidade.

Seriedade é o que nos aguarda!

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave