Dezesseis Estados terão que reajustar

O jornal inclui Minas como um dos que já pagam acima do novo piso, mas o valor de referência é um cálculo proporcional às 40 horas semanais estipuladas pelo MEC

iG Minas Gerais |

Brasília. O ano já começou mais apertado para as despesas educacionais dos Estados. De acordo com levantamento feito pelo jornal “O Globo”, 16 Estados terão de elevar seus vencimentos iniciais pagos a professores da rede pública por conta do reajuste do piso nacional do magistério anunciado anteontem pelo Ministério da Educação (MEC).  

Das 24 secretarias estaduais ouvidas pela reportagem, 15 pagam valores inferiores ao novo piso, que é de R$ 1.917,78. Amapá, Pernambuco e Distrito Federal não responderam ao questionário – nesses casos, o levantamento utilizou dados da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) coletados em abril do ano passado. Acre e Rondônia são os únicos que não cumprem sequer o piso anterior.

O jornal inclui Minas como um dos que já pagam acima do novo piso, mas o valor de referência é um cálculo proporcional às 40 horas semanais estipuladas pelo MEC. Em Minas, o piso é de R$ 1.455,30 para 24 horas semanais.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave