Policial executado no chão era muçulmano

iG Minas Gerais |

Paris. O policial covardemente assassinado, já caído no chão, por um dos atiradores que causaram o que pode ser chamado de chacina no jornal “Charlie Hebdo”, em Paris, anteontem, era muçulmano e tinha a responsabilidade de patrulhar a região onde funciona a sede do jornal, no 11º distrito da capital francesa, de acordo com reportagem de ontem do britânico “Daily Mail”.  

Ahmed Merabet, 42, é o homem que aparece em um vídeo compartilhado inúmeras vezes por internautas e veículos de comunicação, mostrando o momento em que um dos criminosos, mascarado e todo vestido de preto, atira em sua direção; o policial já estava deitado.

“Você quer me matar?”, pergunta o atirador. “Não, tudo bem, chefe”, responde Merabet, levantando a mão, antes de ser alvejado. O policial está entre as 12 pessoas que morreram no atentado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave