‘Me pergunto como escapei’, diz repórter

Entre os 12 mortos estão os chargistas Charb, Wolinski, Cabu, Tignous e Honoré, e o jornalista especializado em economia Bernard Maris

iG Minas Gerais |

Paris, “Ainda me pergunto como escapei”, disse nesta quinta um dos raros sobreviventes do ataque em Paris contra a sede do jornal satírico “Charlie Hebdo”, que se salvou do massacre entrando debaixo de uma mesa.  

Repórter da revista, Laurent Léger participava da reunião de pauta, na quarta-feira, quando dois homens armados com fuzis de assalto entraram no “Charlie Hebdo”, onde executaram 12 pessoas.

“Eles atiraram a esmo, simplesmente”, disse Léger à Rádio France Info, desmentindo a informação de que os dois atiradores perguntaram os nomes das pessoas antes de disparar. “Vi um homem encapuzado, e depois muito sangue... Vi a metade da redação caída. Ainda me pergunto como consegui escapar... Foi um horror”.

Entre os 12 mortos estão os chargistas Charb, Wolinski, Cabu, Tignous e Honoré, e o jornalista especializado em economia Bernard Maris.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave