Ex-gerente atuou para elevar preços

Documentos obtidos pelo jornal “O Globo” mostram que Barusco teve protagonismo no direcionamento das decisões sobre as obras do gasoduto

iG Minas Gerais |

BRASÍLIA e RIO. O ex-gerente executivo de Engenharia da Petrobras Pedro Barusco, que acertou a devolução de cerca de US$ 100 milhões desviados da Petrobras, o maior valor já acertado num acordo de delação, foi o responsável por propor diversos aditivos contratuais que encareceram as obras da rede de gasodutos Gasene, inclusive em parcerias com empresas investigadas na Lava Jato.  

Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) mostrou um superfaturamento superior a 1.800% em obras do maior trecho do gasoduto, entre Cacimbas (ES) e Catu (BA). Para construir o gasoduto, a Petrobras constituiu uma “empresa de papel”, a Transportadora Gasene.

Documentos obtidos pelo jornal “O Globo” mostram que Barusco teve protagonismo no direcionamento das decisões sobre as obras do gasoduto. É ele quem assina os relatórios técnicos recomendando nove aditivos com a Sinopec, empresa chinesa contratada sem licitação para gerenciar e executar as obras do trecho. Esses nove aditivos fizeram o contrato saltar de R$ 1,8 bilhão para R$ 2,4 bilhões (aumento de 33%) e foram aprovados pela diretoria executiva.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave