Minas e Praia Clube mudam chip e focam na Copa Brasil

Equipes mineiras jogam, nesta sexta-feira, fora de casa e uma vitória rende presença na semifinal da competição

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Minas, de Walewska, quer tentar surpreender Sesi com base na eficiência do saque
Divulgação
Minas, de Walewska, quer tentar surpreender Sesi com base na eficiência do saque

As campanhas no primeiro turno determinaram que Camponesa-Minas e Dentil-Praia Clube disputariam a primeira fase da Copa Brasil como visitantes. A competição começa nesta sexta-feira e dará uma vaga no Sul-Americano, em fevereiro. Enquanto a equipe de Belo Horizonte encara o Sesi-SP, às 19h30, as uberlandenses enfrentam o Pinheiros-SP no mesmo horário.

Quem perder está de fora da competição, que acontece em formato eliminatório. Quem seguir, atuará em Cuiabá, sede das semifinais e da grande decisão.

“Apesar desta competição ser curta, ela representa um título, que tem muita validade. O adversário está em uma fase muito boa e está com a mesma base há três anos, com o mesmo treinador”, elogia Marco Queiroga, técnico do Minas, que vai enfrentar o atual segundo colocado da Superliga feminina.

No primeiro turno, o Minas caiu para as paulistas por 3 a 0, em jogo em que não teve muitas chances. O time espera que o novo contexto influa em uma atuação e resultados diferentes.

“O Sesi-SP encontrará a gente em outra situação. Agora, somos um time que já tem uma cara e que está jogando junto há alguns jogos”, salienta a central Walewska.

Uma das estratégias é ter bom rendimento no serviço. Com o passe das donas da casa quebrado, o Minas terá mais chances de contra-ataques.

“Esperamos sacar muito bem, para quebrar a recepção delas, e jogar de igual para igual. Queremos ter a oportunidade de fazer um jogo muito melhor do que aquele que fizemos no primeiro turno”, mostra Queiroga.

A Copa Brasil está em sua segunda edição. No ano passado, o Minas não participou, já que ficou longe do G-8 ao final do primeiro turno. Neste ano, com um time mais bem montado e de maior investimento, ficar na zona de classificação após 12 rodadas rendeu a oportunidade de estrear no torneio.

“Não disputamos a Copa Brasil no ano passado e essa será é uma oportunidade nova. Então, esperamos vencer o Sesi-SP e colocar o Minas na semifinal. Seria um passo muito importante. Esse jogo será jogo determinante e pode dizer muita coisa sobre todo o trabalho que temos feito”, aponta Walewska.

Quem passar do confronto enfrentará, na semifinal, o vencedor do confronto entre Molico-Nestlé-SP e Brasília Vôlei-DF. O vencedor do jogo do Praia encara o classificado de Rexona-Ades-RJ e São Cristóvão Saúde-São Caetano-SP.