Sete suspeitos já foram detidos pela polícia francesa

Mais de 3000 políciais seguem em alerta na França

iG Minas Gerais | da redação |

Um homem levanta uma caneta durante um ato em apoio às vítimas do ataque terrorista ao jornal satírico francês Charlie Hebdo na Place da República, em Paris
MARTIN BUREAU / AFP
Um homem levanta uma caneta durante um ato em apoio às vítimas do ataque terrorista ao jornal satírico francês Charlie Hebdo na Place da República, em Paris
Segundo o primeiro ministro francês, Manuel Valls, em entrevista a rede RTL, a polícia local já efetuou a prisão de sete suspeitos de colaborarem e atuarem no atentado. Valles ainda afirmou que os dois eram "vigiados", assim como, aproximadamente, outras cem pessoas, mas que apesar disso não é possível chegar ao risco zero.   O presidente François Hollande recebeu nesta quinta-feira (8) o ex-presidente francês e, atual, presidente da União por um Movimento Popular (UPM), Nicolas Sarkozy, afim de coordenar atos de condolência pelo atentado. Sarkozy ainda destacou a importância de "manter a unidade nacional frente aos fanáticos contra a civilização, contra a República"   Hollande decretou está quinta-feita (8) luto nacional no país, assim todas as bandeiras de prédios nacionais estarão à meio mastro. O governo decretou "alerta de atentado" o nível mais alto em questões de segurança no país. Mais de 3000 políciais seguem em alerta na França.    A líder da Frente Nacional, partido de extrema direita, Marine Le Pen se mostrou favorável a implantação da "pena de morte em casos muito graves" e própos a realização de um referendo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave